Caio Fábio fala sobre o Dízimo e desafia pastores no Brasil

Caio Fábio ainda afirma que “qualquer igreja que diz que se você não colocar o dinheiro no gasofilácio estará em pecado esta mentindo e realizando uma manipulação diabólica” e ele desafia a qualquer pastor provar o contrário. “coloquem a pastorada evangélica, eles não tem peito de me encarar, põe no Maracanã…Eu vou chamá-los de mentirosos um a um.”

Entendo perfeitamente alguns “postos” teológicos de Caio Fábio, mesmo sabendo que seuexacerbo é de fato notório e compulsivo quando diz: “Eu vou chamá-los de mentirosos um a um.”

Ora, muitas declarações de Cristo trazidas no N.T referem-se aplicavelmente aos filhos de Jacó – Não só às aqui discutidas. Praticamente tudo que fora estabelecido pelo Messias veio primariamente a Israel – Pois que mesmo ele diz: “eu vim para os meus, mas os meus não me receberam…”.

Portanto se das demandas bíblicas que foram doutrinariamente expostas por Cristo e não aceitas pelos filhos de Jacó, então como nós, co-herdeiros da graça haveríamos de aceita-lo como senhor – mas refutar seus ensinamentos.

Não quero discutir teologia aqui, más alguns que lêem a bíblia com regularidade sabem que Cristo consubstanciou a pratica do Dizimo no NT quando ele diz: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.” (Mateus 23 : 23)

Nota-se o aparato que Cristo estabelece na pratica do Dizimo entre os filhos de Israel. Se o Senhor não refutou a pratica lá – porque haveria de refutá-la aqui? Ora, por que não tomaríamos, pois tais conselhos? Outra coisa importante que deve ser considerado é que você já notou que sobre duas coisas o senhor quase não falou (exerceu trato) no N.T. ?

1 – Praticamente não falou sobre o Dizimo
2 – Quase não externou afeto e carinho para com sua mãe (Maria)

Bom, eu tenho duas respostas pastorais, de modo que refiro-me aos leitores como pastor e não como articulista deste portal. A Primeira resposta seria entendida pelo fato de que teríamos sérias complicações ( MAIS DO QUE JÁ TEMOS) com os escândalos financeiros nas Igrejas se o Senhor frisasse repetidas vezes essa pratica abençoadora que é a devolução do dizimo.

A segunda é evidente: Se o Senhor tratando sua mãe (MARIA) com uma certa insensibilidade já temos problemas demais com a “Mariolatria”, Imagina se ele a tivesse recostado em seu peito e atribuísse palavras benevolentes e exultantes como fizera com João Batista o Centurião, etc.? Hoje teríamos ainda mais seguidores de Maria do que atualmente! Vejamos algumas frases direcionadas a Maria por Jesus:

“Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.” (João 2 : 4)
“Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.” (João 19 : 26)

“ E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te. Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos? E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos; Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.” (Mt. 12. 47 – 49)

O senhor de nenhum modo estimula com tais declarações tratarmos nossos familiares assim. Sobretudo entendo que certo cuidado de sua parte quanto ao tratamento de sua mãe justificaria pelo fato de que pautado em sua onisciência, como também conhecendo a dureza do coração do homem, seria um meio pelo qual ficasse claro que toda essa idolatria ascendente surgiu não por consentimento ou por sua vontade, mas pela deslealdade do homem para com o seu Deus.

No modo de ver geral, a pratica do dizimo tem sido desvirtuada pelos líderes da Nação. Há mais mercado do que culto. Sobretudo deve-se tomar cuidado ao trato que se estabelece aos eleitos de Deus – O senhor há de pesar a todos na balança!

Você tem o direito de comentar e descordar comigo. Lembre-se que aqui é um portal cristão!

Aproveite, curta e compartilhe!

85 respostas a Caio Fábio fala sobre o Dízimo e desafia pastores no Brasil

  1. vera lucia disse:

    Bom dia,gostaria muito de saber mais sobre o dizimo,uma vez que as igrejas batem sempre na mesma tecla que temos que dar 10 por cento de td que ganhamos.

    • Giovanni disse:

      É interessante saber responder bem à seguinte pergunta: Quando começa o Novo Testamento? É em Mateus 1 ou na Cruz?
      Quando alguém diz que Cristo corroborou o que o VT diz sobre o dízimo esquece também de dizer que naquela ocasião o dízimo estava em vigor e por isso Cristo disse o que disse, e especificou o que o VT sempre disse: dízimo nunca foi dinheiro, mas sempre foi alimentos (por isso Jesus falou de ervinhas e temperinhos e não de moedas e centavos).

      A Lei e os Profetas duraram (profetizaram) até João Batista. Este João foi o profeta que apresentou o Messias prometido a Israel. O Antigo Testamento preparou o caminho (serviu de aio) até Cristo. “Porque o fim da Lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê”. (Romanos 10:4). Jesus Cristo mostrou aos judeus a necessidade de um novo pacto, mais aperfeiçoado. Durante o seu ministério, Jesus falou muito aos judeus, indicando que a Lei não os aperfeiçoou espiritualmente e que a tradição ofuscou muito a essência dos ensinamentos da Lei.

      Por ter Jesus nascido sob a lei (Gálatas 4.4) vemos, nos Evangelhos, muitas vezes Jesus ordenando que se cumprisse o que determinou Moisés e mais algumas retratações da lei, na antiga aliança.

      Dessa forma, podemos observar muitas passagens que devem ser entendidas como período de transição entre o AT e NT, que muitos confundem com NT. Por exemplo:

      Em Lc 1.15 o anjo Gabriel consagra João Batista ao nazireado, conforme Nm 6.3.
      Em Lucas 2.21 Jesus é circuncidado obedecendo o disposto em Levítico 12.3;
      Em Lucas 2.22 Maria se purifica conforme estabelecido em Levítico 12.4;
      Em Lucas 2.23 os pais de Jesus oferecem o sacrifício prescrito em Levítico 12.6-8;
      Em Mateus 8.4 Jesus manda um leproso fazer o sacrifício prescrito em Levítico 14;
      Em Lucas 19.8 Zaqueu se submete duplamente à pena estabelecida em Êxodo 22.9;
      Em Mateus 17.24 Jesus paga o imposto estipulado em Êxodo 30.11-16
      Em Mateus 26.17 Jesus e os discípulos cumprem o requerido em Êxodo 12.1-27.

      Vemos então que enquanto Jesus vivia, a Lei Mosaica estava em vigor. Como entender Mt 8.4, onde Jesus ordena a apresentação de um sacrifício de animal ao que havia sido curado de lepra? É necessário que façamos isto hoje? Evidentemente que não. Da mesma forma, quando, em Mt 23.23, Jesus ordena aos fariseus que dessem o dízimo do cominho, da hortelã e do endro, devemos entender que eles estavam debaixo da mesma aliança mosaica que obrigou o leproso a cumprir o ritual de Levítico 14.

      O Novo Testamento (Nova Aliança, Novo Pacto, Novo Compromisso) começa com a morte de Jesus Cristo na Cruz do Calvário; quando o véu se rasgou. Antes do sangue de Jesus Cristo ser derramado na cruz, o pacto vigente era o Antigo Testamento. Jesus em seu ministério antes da cruz, mostrou ao povo a necessidade de um melhor pacto com Deus. Demonstrou ao jovem rico que guardar a lei não o aperfeiçoou espiritualmente; demonstrou aos fariseus e escribas que dizimar não os aperfeiçoou espiritualmente; demonstrou às autoridades religiosas a sua cegueira espiritual.

      Cumprir uma tarefa significa concluir uma tarefa. A Lei foi cumprida por Cristo. A Lei apontava para Cristo, serviu de aio (condutor) até o Messias. Chegado o Messias, a lei já não tem mais função. Mas o Novo Testamento só pôde ter início com a morte de Jesus Cristo na cruz.

      Marcos 14:24 “E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que por muitos é derramado.”

      Faço um questionamento para aqueles irmãos que dizimam porque entendem ser um mandamento válido para o cristão: Qual dos cinco dízimos que aparecem na Bíblia é entregue hoje nas igrejas? 1 – O dízimo de Abraão – Gênesis 14:17-20 2 – O dízimo do rei – 1Samuel 8:11-17 3 – O dízimo dos levitas – Números 18:21-24 4 – O dízimo das festas – Deuteronômio 14:22-27 5 – O dízimo dos pobres – Deuteronômio 14:28-29 Estes são dízimos bíblicos. Se o que tu praticas não for nenhum destes, não é um dízimo bíblico.

      O DÍZIMO É BÍBLICO, MAS NÃO É MANDAMENTO PARA O CRISTÃO. Deus faz alianças. Fez uma com Noé. Fez outra com Abraão. Fez outra com o povo de Israel no Sinai. Fez conosco (gentios), por Jesus Cristo. A aliança com Abraão não tinha como mandamento o dízimo, mas sim a circuncisão. O dízimo dado a Melquisedeque foi voluntário. Além de voluntário, foi dado uma única vez. Além de voluntário e dado uma só vez, foi a partir de despojos de guerra. Além de tudo isso, os outros 90% Abraão devolveu ao rei de Sodoma. O QUE TEM ESSE DÍZIMO A VER COM O QUE SE DÁ TODO MÊS NAS IGREJAS? A aliança que Deus fez com ISRAEL no Sinai tinha como ordenança a prática de dizimar. Era a base de sustento do sacerdócio levítico e também promovia a justiça social (Deuteronômio 14:23-29). Peço atenção especial ao último versículo deste texto indicado. A promessa de prosperidade estava CONDICIONADA ao fato de o dizimista abençoar a vida do pobre e do deserdado. Era a condição para a bênção divina. Apenas os LEVITAS e os POBRES tinham autoridade para receber dízimos. MAIS NINGUÉM, nem os sacerdotes. O QUE TEM ESSE DÍZIMO A VER COM O QUE SE DÁ TODO MÊS NAS IGREJAS? Malaquias foi escrito dentro do contexto do Pacto do Sinai. É o último livro do Velho Testamento. Quem quiser realmente compreender o texto de Malaquias deve ler Neemias e Esdras, seus contemporâneos. Em Neemias encontra-se muito mais sobre dízimo do que em Malaquias.
      Havia turmas de sacerdotes e levitas que serviam no templo. Cada turma ficava uma semana no templo. Os dizimistas entregavam dízimo aos levitas e esses, por sua vez, separavam o dízimo dos dízimos (que tinha que ser a melhor parte dos dízimos recebidos por eles) e levavam a uma câmara do templo, chamada casa do tesouro, onde eram depositados os mantimentos (alimentos) para o sustento da turma da semana no serviço do templo. Acontece que os levitas não entregavam o melhor muitas vezes. E os sacerdotes não queimavam a melhor parte das ofertas que eles recebiam, conforme a lei e ainda roubavam alimentos. Havia, desta forma, grande desleixo e irresponsabilidade.

      “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro” foi escrito para os levitas, pois a eles somente cabia levar dízimos a essa câmara (Neemias 10:38). DEUS NUNCA MANDOU O DIZIMISTA TRAZER DÍZIMO À CASA DO TESOURO. E, como vimos, a casa do tesouro não era o templo, muito menos é hoje o prédio da congregação, mas um depósito apenas. O QUE TEM ESSE DÍZIMO A VER COM O QUE SE DÁ TODO MÊS NAS IGREJAS?
      Quem teria a autoridade espiritual de receber dízimo hoje? A viúva, o órfão e o estrangeiro (Deuteronômio 14:28-29) – o pobre recebia dízimo no Antigo Testamento. Hoje, quem tem pouco ainda é obrigado a tirar 10% pois senão estará “roubando de Deus”. Que covardia! Que infâmia! Na ausência do templo e do serviço levítico no templo, resta hoje apenas a outra categoria de pessoas com autoridade para receber dízimos: o órfão, a viúva e o estrangeiro (ou seja, os pobres e necessitados).

      Dízimo é para pagar contas?
      Por que uma igreja não sobreviveria hoje somente com ofertas? Por que alguns entendem que oferta é necessariamente menos do que 10% da renda mensal?

      Vimos em Atos que as ofertas podem ser muito mais do que 10%, quando os membros da igreja têm compromisso com missões e caridade.

      Mas o dízimo era, no passado, usado para construção, reforma e aquisições para o templo? Não, pois não se tratava de dinheiro, mas de alimentos para o levita, o órfão, a viúva e o estrangeiro peregrino (Deuteronômio 14:28-29). A promessa de bênção ao dizimista veterotestamentário estava diretamente relacionada ao versículo 29. Basta conferir na sua Bíblia. Mas, então, como o templo foi construído e mantida a sua estrutura? De onde vinham os recursos para a construção? Resposta – Da mesma fonte dos recursos da construção do tabernáculo, em Êxodo: das ofertas voluntárias.

      Muitos confundem dízimo com primícias e ofertas. São coisas diferentes na Bíblia. “Honra ao Senhor com as primícias de tua renda” não se referia ao dízimo.
      A viúva que depositou duas moedinhas na arca do tesouro, e que recebeu elogio de Jesus, estava ofertando e não dizimando. Ofertas podiam ser em dinheiro, dízimo, porém, apenas em alimentos.

      Se numa aliança menos perfeita, os dízimos eram para o sustento dos deserdados, dos pobres e dos necessitados, hoje, em uma aliança melhor, teriam uma destinação menos nobre? O OBJETIVO DA PROSPERIDADE – Muitos interpretam erroneamente a frase “abrir as janelas do céu” (ver o significado em Gênesis 7:11 e 8:2) como uma promessa de Deus para a vida financeira. De certa forma era, pois a chuva dava ao agricultor e ao pecuarista judeus uma boa expectativa com relação à sua produção rural. Mas tudo dentro do contexto correto. A observância do dízimo, pela justiça social que o mesmo produzia, era a garantia de prosperidade para o povo de uma maneira geral, pois a terra produziria abundantemente. Observe atentamente que a promessa era diretamente relacionada ao cuidado com os pobres (Deuteronômio 14:29). Podemos afirmar que era a condição para a bênção.

      Só seria abençoado se abençoasse os pobres.
      PROMESSAS -> O justo será abençoado com saúde, prosperará e terá galardão mediante o auxílio amoroso e sincero ao pobre e ao necessitado. SALMO 41:1-3 / ÊXODO 22:21-25 / PROVÉRBIOS 19:17 / PROVÉRBIOS 22:9LUCAS 14:12-14 / 2CORÍNTIOS 9:9 / MATEUS 25:34-40 EXORTAÇÕES -> Deus exorta àqueles que O amam a cuidar do pobre e do aflito. DEUTERONÔMIO 15:4-11 / DEUTERONÔMIO 24:14-15 / PROVÉRBIOS 14:31 / TIAGO 1:27 JUÍZOS -> Conseqüências para os que desprezam ou maltratam os desamparados. JÓ 20:15-21 / PROVÉRBIOS 21:13 / PROVÉRBIOS 28:27 / MATEUS 25:41-46 / TIAGO 4:3 A segunda parte do pacto com Abraão ordena: “Sê tu uma bênção” (Gênesis 12:2). Em Mateus 22:35-38, o Senhor Jesus compara o mandamento de amar a Deus com o de amar ao próximo. Essa lição é reafirmada em Mateus 25:31-34 quando o Senhor diz que quem cuida do necessitado e do aflito honra ao próprio Senhor Jesus.

      Quando surgiu o dízimo na igreja cristã? Você sabia que o dízimo foi cobrado pela igreja só depois de 500 anos da partida de Jesus?
      Foi introduzido, embora com pouco êxito inicial, no Concílio local de Mâcon, no ano 585. Apenas uns duzentos anos após isso é que ganhou força, passando a ser considerado tributo obrigatório à Igreja Católica (por Carlos Magno, de 777 d.C). Portanto, para aceitarmos a prática do dízimo, principalmente com o grande desvio de finalidade como vemos hoje, teremos que desprezar o estudo da Bíblia e também a história da Igreja, incluindo os apóstolos e os líderes dos primeiros séculos da história do Cristianismo.
      “Os que possuem alguma coisa e queiram, cada um conforme sua livre vontade, dão o que bem lhes parece, e o que foi recolhido se entrega ao presidente. Ele o distribui a órfãos e viúvas, aos que por necessidade ou outra causa estão necessitados, aos que estão nas prisões, aos forasteiros de passagem, numa palavra, ele se torna o provedor de todos os que se encontram em necessidade.” (JUSTINO MÁRTIR, 100 A 165 d.C.). Atos 15:5-11. (dízimo, além de nunca ser dinheiro, é Lei Mosaica).
      2Coríntios 9:7. (se pré-estipular não é conforme propõe no coração, nem é livremente, nem é sem constrangimento, mas por “medo de estar roubando a Deus” e por “medo do devorador”).
      Hebreus 7:11-22 (dízimo era base de sustento do sacerdócio levítico e este falhou miseravelmente). Hoje, infelizmente, a religiosidade desviou a sua finalidade inicial, sendo recolhido e aplicado para fins diversos. Além disto, restaurou-se em boa medida a força da Lei e suas maldições, numa clara afronta à Graça. Também é utilizado dentro do âmbito da famigerada teologia da prosperidade, servindo para introduzir sementes de ganância e egoísmo no meio da congregação dos crentes. Fiquemos, pois, com a simplicidade do Evangelho, nas palavras de Tiago 1:27: “A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo”. Amém.

      CONCLUSÃO 1) Malaquias não foi dirigido aos cristãos, mas aos judeus. Era um texto completamente da LEI. A Lei Mosaica não está em vigor para nós, cristãos, pois foi cumprida por Jesus. Hoje estamos sob a Graça.

      ATOS 15 – nesse capítulo vemos os judeus cristãos ensinarem aos gentios cristãos que estes deveriam guardar a Lei. Os apóstolos, ao saberem disso, repreenderam aqueles que estavam ensinando a Lei, pois não era essa um pacto entre Deus e os cristãos, mas entre Deus e Israel.
      É por isso que não guardamos mais o sábado, nem nos circuncidamos, nem cumprimos mais os outros 613 preceitos da Lei. Só o dízimo perdurou.2) O apóstolo Paulo diz: “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las” (Gálatas 3:10). Nesse caso, quem entrega o dízimo e não cumpre todos os 613 mandamentos da Lei de Moisés está recebendo maldição, em vez da bênção propalada pelos pastores e líderes malaquianos. Leiam todo o Livro de Gálatas e atentem bem nos ensinos de Paulo.

      3) As igrejas que exigem dízimos e ofertas elevadas, mesmo sendo o dizimista e o ofertante muito pobres são muitas vezes dirigidas por pastores sem um curso teológico, com má interpretação do fundamento e finalidade dos dízimos e das ofertas. Outros se deixam levar pela tradição ou pelo medo de a arrecadação diminua, tornando a Igreja sem recursos. Isso não está certo, pois Deus tocará os corações dos ofertantes e a igreja sempre estará funcionando e sendo vitoriosa.

      4). Jesus defendeu a entrega dos dízimos pelos fariseus, pois Ele veio para as ovelhas perdidas da Casa de Israel e estava cumprindo toda a Lei. Mas a Igreja vive na GRAÇA, conforme nos ensina Paulo, a quem o Senhor entregou o apostolado dos gentios.
      DÍZIMO COMO ORDENANÇA É PRECEITO UNICAMENTE MOSAICO, E QUEM PROCURA JUSTIFICAR-SE PELA OBSERVÂNCIA DA LEI ESTÁ:
      Tornando sem valor a morte de Cristo (Gálatas 2:21)
      Vivendo na carne e não no Espírito (Gálatas 3:2,3)
      Colocando-se debaixo da maldição (Gálatas 3:10)
      Metendo-se debaixo de jugo (Gálatas 5:1; Atos 15:10)
      Separando-se de Cristo e caindo da Graça de Deus (Gálatas 5:4)
      Pondo-se debaixo do ministério da morte e da condenação (II Coríntios 3:7-9) OBSERVAÇÃO IMPORTANTÍSSIMA – Após esse estudo, talvez a tua visão sobre o objetivo do dízimo tenha sido tremendamente modificada. Tenhas muita sabedoria ao conversar com alguém sobre esse assunto, pois a nossa liberdade não pode servir de escândalo ao irmão. E que fique bem claro que as ofertas são um ensinamento cristão e são muito úteis para a promoção do Reino de Deus. Oferte com generosidade e muita alegria no coração, pois é mesmo um privilégio.

    • josiel disse:

      Quero ver qual pseudo pr vai legislar contra si,se vive do dizímo.Meus queridos estamos na 6 dispensação e não vivo de baixo de julgo,dizimo não é preceito de salvação, O LADRÃO da cruz não deu dizimo e foi salvo, oferta sim cada um contribua segundo propos no seu coração.Pastel oupa pastor vai trabalhar e para de viver arrancando as carnes das ovelhas.

    • carlos silva disse:

      nao li todo o seu comentario por ser muito grande.mas pelo que eu entendo de ser umdizimista,e a decima parte daquilo que nos ganhamos,e uma forma de nos espreçamos a nossa gratidao a Deus.Eu por exemplo dou o meu dizimo nao comedo do devorador,ou por algum tipo de maldiçao,mas sim pela minha gratidao a Deus,por ele ter mim dado saude,trabalho etc…como tambem entendo que os pastores necessitam comer,se vestiretc..muitas das vezes fica dificil para um pastor conciliar trabalho com suas responsabilidades pastorais,dou omeu dizimo independente do que dizem porque reconheço o trabalho e esforço do meu pastor.E graças ao senhor sou muito abençoado.

    • santana disse:

      Gostei do seu conteúdo sobre o dízimo… o capitalismo entrou no meio da igreja e pelo que vejo não vai sair…

    • angela Araujo disse:

      ola ,eu li todo seu texto ,pra me foi muito esclarecedor ,pois tenho agora a mente mais aberta,sem culpa.nao concordo com muita coisa mais, so pequena diante este negocio que virou o evangelismo .Deus continuei ti abençoando ,Ângela ,desculpa agua coisa .

    • alexandre carelli disse:

      o evangelho de deus para os gentios foi o evangelho de paulo e em todas as suas cartas paulo nao fala nada sobre dizimo e nen fala de homens que viven da obra e pelo contrario paulo fazia questao de frizar trabalhava duro [se preciso for trabalharei dia e noite para nao ser pesado a nimguem ] e ainda por cima pregava o evangelio ; o meu conselho para estes defensores do dizimo [ batedores de carteiras]e que arrumen um enprego e va´ pergar o evangelho de graca . parabens pastor caio ;igual ao sr ,esta se levantando uma nova geracao de crentes que leen a palavra e nao estao mais engolindo comida podre . gloria DEUS eu sou livre em CRISTO JESUS amen .

    • Edinêr disse:

      Faço parte da comunidade Evangélica Carvalho – Cristo é a Verdade e temos o seguinte estudo sobre o assunto:
      A VERDADE SOBRE OS DÍZIMOS
      O que é dízimo? Imediatamente você poderá imaginar: Dez por cento dos meus rendimentos para os cofres da igreja. Mas, Deus ainda exige que pratiquemos alguma ordenança da lei do Antigo Testamento (da qual foi instituído o dízimo), mesmo depois do sacrifício de Jesus para remir o homem do pecado? Vamos conhecer a verdade que envolve esse MITO chamado dízimo, que está sendo levado aos fieis de modo desvirtuado, por muitos pregadores.
      Porém, antes de iniciarmos o nosso estudo, vamos à consulta aos dicionários da língua portuguesa, sobre o nosso assunto:
      Dízimo: A décima parte.
      Dízima: Contribuição ou imposto equivalente a décima parte dos rendimentos.
      Como podemos observar, dízimo é a décima parte (de qualquer coisa) menos dos seus rendimentos. Porque a fração equivalente a dez por cento dos rendimentos chama-se dízima. Porque então os pregadores pedem dízimo? A confusão começa por aí, porque na lei de Moisés, a qual foi por Cristo abolida (Hebreus 7.12,18,19), o dízimo nunca foi dinheiro para o cofre da igreja. Os dízimos aos levitas eram dez por cento das colheitas dos grãos, dos frutos das árvores e da procriação animais que nasciam no campo em um determinado período. Resumindo: O dízimo era alimento destinado a suprir as necessidades dos levitas que não tinham parte nem herança na terra prometida. Vejamos:
      Deuteronômio 14.24 a 27: E quando o lugar que escolher o Senhor teu Deus para fazer habitar o seu nome, for tão longe que não os possa levar, vende-os e ata o dinheiro na tua mão, e vai ao lugar que escolher o Senhor teu Deus e compre tudo o que a tua alma desejar, e come ali perante o Senhor teu Deus, e alegre tu e tua casa. Porem, não desamparará ao levita que está dentro das tuas portas e não tem parte e nem herança contigo.
      Considere a profundidade do texto bíblico onde o Senhor evidencia que, se o lugar que escolheu o Senhor teu Deus, para levar o seu dízimo, for tão longe que não os possa levar, Ele instrui, que o seu dízimo deveria ser vendido, e o dinheiro atado na tua mão, (não é na mão de nenhuma outra pessoa), ir ao lugar que escolheu o Senhor, e comprar o que a tua alma desejar, para ali fazer habitar o nome do Senhor Deus.
      Portando amados, se o dízimo fosse dinheiro, o Senhor não iria mandar vender o que já era espécie.
      O dízimo na lei de Moisés nunca foi oferecido da forma como está sendo feito, porque o dízimo foi destina para suprir as necessidades dos levitas, mas hoje não há mais entre nós a personagem representativa do levita.
      Então alguém irá apontar para Malaquias 3.10 para justificar que fora ordenado ao dízimo ser levado para casa do tesouro. Isso não muda nada, a finalidade do dízimo continua sendo a mesma, ou seja, prover o sustento aos levitas e amparar o órfão e a viúva.
      Se meditarmos nos livros de II Crônicas 31.5 a 12 e Neemias 12.44 a 47 vamos entender melhor o porquê Malaquias mandou levar o dízimo a casa do tesouro. A palavra diz: Para que haja mantimento na minha casa. E o que é mantimento?
      Mantimento: Aquilo que mantém provisão, sustento, comida, dispêndio, gênero alimentício, etc.
      Ainda em II Crônicas 31.13 a 19, a lei menciona que o quinhão dos dízimos era partilhado às comunidades dos levitas que trabalhavam nas tendas das congregações, segundo o ministério que cada um recebera do Senhor. Hoje o dízimo está sendo direcionado para o líder da igreja ou à cúpula de uma organização religiosa, onde ninguém mais sabe a que fim se destina esse montante. Enfim, o dízimo não foi criado para assalariar o dirigente da igreja ou para prover as despesas pessoais desses, nem tão pouco destinado a realizar obras missionárias ou mesmo construir templos.
      No Antigo Testamento, o rigor da ordenança do dízimo era a garantia do mantimento em abundância. Pagava-se o dízimo para ser recompensado materialmente, mas Jesus Cristo em sacrifício vivo, pagou o mais alto preço pela nossa libertação, com o seu próprio sangue, para que recebamos a paz, a graça e a oferta da vida eterna.
      No Evangelho de Cristo, Ele nos ensina que não precisamos mais pagar o dízimo para garantir as necessidades cotidianas de coisas materiais (alimento, vestimenta, etc.), Jesus priorizou a buscar primeiramente o Reino de Deus e sua justiça e as demais coisas serão acrescentadas (Mateus 6.25-33).
      E para recebermos as bênçãos e a graça do Senhor ninguém precisa pagar mais nada (Mateus 10.7-10) porque é Ele quem nos dá a vida, a respiração, e todas as coisas (Atos 17.25).
      OS DÍZIMOS ANTES DA LEI
      O DÍZIMO DE ABRAÃO – Gênesis 14.18-20: Abraão deu o dízimo dos despojos da guerra ao Rei Melquisedeque, sacerdote do Deus altíssimo, e foi por ele abençoado.
      O DÍZIMO DE JACÓ – Gênesis 28.20-22: Jacó fez um voto ao Senhor, prometendo-lhe dar o dízimo de tudo quanto ganhasse se em sua jornada fosse por Ele protegido e abençoado.
      Em ambos os acontecimentos, não há registro na palavra do Senhor que tenha havido ordenanças ou determinação para que se dessem o dízimo. Especificamente nesses casos, os dízimos foram oferecidos de forma voluntária, espontânea, ou por voto, em retribuição e agradecimento, honra e glória ao Senhor Deus, pelas bênçãos recebidas e pelas vitórias conquistadas.
      Assim sendo, hoje não se pode tomar como exemplo os dízimos de Abraão e Jacó, como fundamento para implantá-los como regra geral de doutrina na igreja, com o propósito de receber bênçãos e salvação, em nome de uma lei que fora por Cristo abolida.
      O DÍZIMO PELA LEI
      Números 18.21, 24, 26: O pagamento do dízimo foi ordenado pela lei do Antigo Testamento, e tinha caráter de caridade, pois a sua principal finalidade era suprir as necessidades dos Levitas que não tinham parte nem herança na terra prometida, e também dos estrangeiros, órfãos e viúvas.
      Deuteronômio 14.29: Então virá o levita (pois nem parte nem herança têm contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra das tuas mãos que fizeres.
      Está na palavra, o dízimo foi criado por Deus, com a finalidade exclusiva de caridade aos necessitados, hoje é empregado para outros fins, diverso daquele que o Senhor ordenou.
      Mas, ainda que os dirigentes das igrejas revertessem todo tributo dos dízimos e ofertas em obras sociais, ainda não estavam em conformidade com a palavra do Senhor, pois alem do dízimo ter sido abolido (Hebreus 7.5-12), a caridade ou amor ao próximo, é algo muito profundo, individual e intransferível, é uma obra entre você e o Senhor teu Deus (Mateus 6.1-4).
      Outro detalhe interessante que precisamos conhecer, quando o dízimo foi instituído pela lei (Números 18.20 a 24) com a finalidade de manter os filhos de Levi que administravam o ministério nas tendas das congregações, os quais não receberam parte nem herança na terra prometida, (Números 18.24”b”), o Senhor declarou que os filhos de Levi não teriam nenhuma herança no meio dos filhos de Israel.
      Como também fora ordenado as demais tribos de Israel, que dizimassem aos Levitas, o necessário para a manutenção cotidiana, porque não possuíam nenhuma herdade. Hoje, a situação está a revés da palavra, os trabalhadores, a maioria deles assalariados, ofertam o dízimo para os que vivem sem trabalhar, e em abundância de bens.

  2. burrice, caio que caiu disse:

    ei meu irmao caiu (caio) cai fora, vc é um mensageiro que fala coisas que não tem nada a ver. Se liga!! jesus esta voltando e vc vai ficar.. seu blasfemador..

    • junior pereira disse:

      concordo com o irmão caio fabio! Pois somente o sacerdocio LEVITICO é que tinha o poder de tomar o dizimo Hb.7:5 e esses dizimos nada tem a ver com uma contribuição monetaria de 10% todo o mês como se foce uma mensalidade de dar direito a entrar no reino de Deus … Todo o cristão que concorda com o sistema de cobranças financeiras das atuais (igrejas) ou se beneficia financeiramente ou é muito mal informado…

    • junior pereira disse:

      Jesus afirmou em Mateus 23:23, que os escribas e farizeus deviam não parar com a contribuição dizimal. Bem Jesus não fala muito sobre o dizimo, porque ele estava falando para um povo (JUDEU) que ja tinha a pratica de dizimar oriunda no judaismo. Então cabe algumas colocações, o porque que Jesus não falou muito sobre o dizimo:1_ Se não estamos mais debaixo de aio(LEI) e sim na plenitude da graça de Deus e todas as coisas nesta disperssação são voluntarias e espontâneas, inclusive as contribuições 2co.9:7. Não é de admirar o porque Jesus não fala sobre a pratica de dizimar pois nesta disperssação toda a obidiência e pratica é esperada pelo Senhor de uma forma mais abrangente, mais perfeita ex: na lei era nessessario a pratica do adulterio para que o pecado fosse classificado como trasngreção; Nessa nova aliança basta olhar para uma mulher de modo impuro e ja é classificado o pecado do adulterio, na nova aliança se um irmão encolerizar-se contra outro irmão sem motivo ja se torna rel do fogo do inferno, ou seja tudo na nova aliança é mais perfeito
      inclusive a pratica de contribuir finaceiramente com a obra de Deus.Veja que Abraão
      espontâneamente dizimou, Jacó espontâneamente fez um voto dizimal para com Deus, a espontâneedade é mais eficaz do que as ordenanças de dizimar do sacerdócio
      levitico, está registrado em atos dos apostolos que através de um espirito voluntário
      (ESPONTÂNEO) os irmãos ofertavam não só dez por cento mais até mesmo suas propiedades eram vendidas e depositadas aos pés dos apostolos, em Hb.7:5 diz que o sacerdócio levitco tinha ordem de tomar o dizimo ou seja foi o unico ministério que podia cobrar o dizimo. Em hebreus 7:12 diz que mudando o sacerdocio é necessário que haja mudanças na lei, por isso é que devemos ser ou não ser dizimista. Ser dizimista de uma forma tal qual Abraão foi, espontâneo, pois se não somos espontâneos não temos a fé de Abraão inclusive de contribuir finaceiramente no reino de Deus, porém se temos esta fé somos benditos com o crente Abraão Gl3:9.E não seremos dizimista, quando quiserem nos precionar seja de que forma for, cobranças, pressão piscológica, com alegações de sermos ladrões etc… como se estivessemos debaixo do sacerdócio levitico sujeito a cobranças. Muito pelo contrario estamos em CRISTO JESUS andando sempre em novidade de vida …que Deus em Cristo nos abençoe amém.

    • Samuel Coelho disse:

      Parabens!! Pr. Caio Fabio, pelo lindo estudo biblico!, com certeza pode colocar todos no maracana, eles nao terao arguntos algun contra a verdade. gostaria tambem de registrar algo que nos entristece bastante: se voce e um crente de uma igreja dessas malaquistas, derrepende voce sente uma chamada de Deus, para trabalhar na obra de Deus, voce sera aprovado para o ministerio, se for um dizimista fiel da igreja, esse e o primeiro requisito observado pelos lideres. Eles nao querem nem saber se quem chamou foi Jesus Cristo. verdadeiros coruptos!!

    • santana disse:

      crente …tu julgou o teu irmão… tem mas cuidado com o que tu fala. Se você não tem conteúdo acho bom você se enquadrar com conhecimento, que ficar falando de forma infantil difamando argumento desta forma.ver lá pois talvez nem mesmo você tem entendimento do que estar falando.

    • kakosmart disse:

      ele não errou , só disse a verdade .

    • Deraldo disse:

      Concordo com vc Caio, vai em frente …

  3. FRANCISCO DUTRA disse:

    Ao Pastor CARIO FÁBIO:
    À propósito do seu comentário acima em Mateus 23:23, Jesus ali não negou o dízimo, sabe por quê? Em Mateus 23:23 não é matéria do Novo Testamento. O Novo Testamento inicia-se em Mateus 27:50 e 51, quando Jesus rendeu o Seu Espírito a Deus e o Véu do Templo se abriu de cima a baixo. Não existe Testamento enquanto o testador está vivo. Jesus em Mateus 23:23 estava no efetivo cumprimento da Lei, e na Lei ás Dízimas dos produtos do campo (agro-pecuários) eram obrigatórias para a Nação Israel, para suprir os Levitas, que não receberam herdade da terra, certo?
    Os pastores malaquianos usam erradamente Mateus 23:23 para induzir os fiéis da Graça de que o Dízimo está consubstanciado no Novo Testamento.
    Leia, pastor Caio Fábio, para reforçar e dar mais conteúdo na temática de que o Dízimo da Lei na Graça é a negação da própria graça, leia por fim, o que está escrito da Parábola do Fariseu e do Publicano, em Lucas 18: 9 a 14. Nesta Parábola o Senhor Jesus deixou claro de que nem o Jejum nem o Dízimo têm qualquer valor para nós agora nos tempos da Graça, amém!? O Jejum que Deus deseja está escrito em Isaías 58.
    Caso o senhor desejar saber mais a respeito das passagens sobre o Dízimo de Abraão a Mesquisedeque e de Jacó, entre outros, solicite-me, tenho estudos a respeito, onde provamos de que o Dízimo da época de Abraaão tem outra origem e nada tem a ver com o que os pastores malaquianos declaram de que o Dízimo não é apenas da Lei, mas muito antes da Lei. Temos que falar a verdade cistalina para os fiéis ao Santo Evangelho da Revelçao Espiritual do Senhor Jesus Cristo, nas 14 Epístolas Paulinas, para nós outros, os não-judeus e para os judeus convertidos ao Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo! Amém!? Jesus disse: “E conhecereis a verdade, e a verde vos libertará” (João 8:32). Os pastores não querem que nós outros conheçamos a verdade, exatamente para nos manter debaixo do jugo da submissão, que nem eles mesmos conseguem levar. Quando eu leio Mateus 23, todo o Capítulo, alí eu vejo exatamente a igreja de hoje, a igreja local. Nada mudou desde os tempos de Jesus, infelizmente, mas o ser humano é assim mesmo, e é mister que seja mesmo assim, senão o Senhor Jesus Cristo não Volta para o Arrebatamento da Sua Igreja, amém!???
    Meu e-mail: dutra.fda@ig.com,br
    Rio de Janeiro, RJ, 08/11/2009

    DUTRA – Teólogo e Mestre em Ciências Sociais da Religião e Psicanalista Clínico, para Aconselhamento Cristão

    • wilson disse:

      Estou de pleno acordo, temos que combater essas erezias.

    • Wagner disse:

      Ao Francisco Dutra: Você pode ser mestre em todas as áreas da ciência, mais se não tiver o espitirito santo ministrando a verdade em seu coração sera como um “Nicodemos”.
      Não vou falar doque esta escrito pois com certeza você ja leu, e seu coração ja esta duro para uma verdade que lhe convem, mais digo uma coisa: arrepende-te da sua soberba!

    • Vicente disse:

      O que você quiz dizer com isso?

    • Deraldo disse:

      Certo,

      Hebeus 7 então esta no velho testamento.

      só é bom pra vcs, quando esta entrando aquilo que Paulo falou que não queria ser pesado aos irmão…

  4. VÂNIA MAIA disse:

    É muito triste ver que a Graça tem se transformado em motivo de des-Graça para muita gente…enquanto o cristianismo se enfraquece por causa de tanta “sabedoria” de seus milhares de “mestres” o diabo vai tomando os lugares que estamos deixando vazios de interceção, evangelismo…e enchendo de ira e furor,como nossos “amigos fariseus”, ajudando a preparar o caminho para o anticristo. Parabéns “cristãos”.

  5. Welber disse:

    Graça e Paz do Senhor JESUS.

    Tem muita gente conhecendo JESUS de estudar e ouvir falar.
    Enquantos poucos tem andado com ele…

  6. Ivan Toro disse:

    Em 2001 escreví e publiquei mais um estudo amplo e estritamente bíblico sobre essa farsa que é a cobrança do dízimo aos que se convertem a Jesus sob o Novo Pacto da Graça. O livro está à disposição de quem quiser baixá-lo gratuitamente na Internet. Seu título para busca-lo pelo Google é: A Farsa do Dízimo “Cristão”. É gratificante ver como cresce a tomada de consciência sobre a todo-suficiência da obra do nosso Salvador e Redentor, Jesus. Espero que mais este grãozinho dé bons frutos nos que de coração sincero nele se interessem. Graça e Paz!

    • santana disse:

      Gostaria que vc me enviasse uma copia do teu conteúdo… é possível .

  7. Diogo disse:

    O diabo sempre tentou envergonhar o povo de Deus através do dízimo e hoje os própios crentes estão se deixando usar por ele, quando olho para pessoas como esse homem que se diz de Deus me da pena porque não gosto de pessoas orgulhosas e autoritárias, cada um deve expor sua opnião, não é só porque eu penso diferente do meu irmão que eu o chamarei de mentiroso.
    O inimigo sempre tentou atuar contra os dízimos, sabe por quê? Porque é o dízimo que sustenta a igreja, e todo mundo critica e se fosse pelas autoridades a igreja já estaria fechada, mas como tudo é pago corretamente (através de dízimos) eles não podem fazer nada.!.

  8. D7 disse:

    O dinheiro é meu e faço o que eu quizer com ele, e Deus me recompensa pelas minha obras. Ponto final

  9. Davi disse:

    Boa msg Essa!!!

    • Mauricio Luciano disse:

      Paz!!
      Não me vejo como estudioso bíblico, mas do pouco que sei e entendo,
      Cristo cumpriu a lei justamente para libertarnos dela…
      Se não me desvinculo das práticas da lei, como posso dizer que Jesus
      Cristo é meu Senhor e LIBERTADOR??
      Não me reforp ao que se refere à dízimo, mas sim, a todo tipo de prática que leve a pessoa a crer que a lei é mais importante do que quem a Criou…anulando, assim, toda a obra redentora de Jesus.

  10. Emanoel Roldão disse:

    Gostei do que li nos comentários, pois nos mostram as divergências de idéias, acrescento a minha, fico com Paulo, que nos diz “cada um contribua conforme propos seu coração”. Se voce sente que a obra que está sendo realizada é de Deus e quer participar disso, então doe, 10,20,30 por cento da sua renda e seja feliz, mas se vc sente e vê que pessoas estão ficando ricas e na Casa de Deus,está “faltando mantimentos”(Malaquias 3:10)como assistência social,distribuição de cestas,socorro às víuvas,construção do templo,obras missionárias e o mais importante a transparência na administração das coisas de Deus, não se deixe constranger pelo texto de Malaquias 3:10, pois você não irá para o inferno, antes ira seu”pastor”, que não é idôneo nas coisas de Deus, ele tirará sua culpa perante Deus.Procure ser grato a Deus com seu dinheiro, ajude familiares, pessoas necessitadas/doentes, ajude creches,asilos,orfanatos, sempre com gêneros,nunca em espécie(evite a corrupção),sejamos prudentes com os “talentos”(dinheiro)que o Senhor nos concedeu por empréstimo,pois tudo foi,é e sempre será Dele.AMÉM.Bacharel em Direito,Professor de Ed. Física,Capitão da PM,Diácono Episcopal e FILHO DE DEUS.

  11. Anicet disse:

    Caros irmãos, as Escrituras não mentem, Elas são a Verdade pura do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. E, ademais, havemos de entender o seu caráter profético. O nosso Deus é o único que conhece o futuro antes da fundação do mundo. E, no Livro de Apocalipse que a maioria dos cristãos tem medo de ler (em verdade, Apocalipse quer dizer Revelação, a revelação do nosso Senhor Jesus Cristo), enquanto deveria ficar zelosa em ler e esquadrinhar com a força do Espírito Santo Suas verdades explícitas. A Escritura diz “Conheço as tuas obras…” e “Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”. O Senhor conhece as obras das igrejas desta geração, e somente há uma única maneira para elas dizerem que estão ricas: a partir dos dízimos que recebem. A prática dos dízimos nas igrejas hoje cumpre a Palavra de Deus, a profecia proclamada pela tinta da pluma do apóstolo João. Caros irmãos, não combatam a prática dos dízimos, mas saibam que a partir disso, devemos preparar as nossas vidas, pois o nosso Senhor está voltando. Mas, às igrejas que roubam o Senhor, ou melhor, o povo de Deus, Deus disse: desgraçadas! Ou seja elas não têm a Graça que salva! Estão sem graça! Considerem essa palavra: Desgraçadas! Não pensem vocês que o Senhor estava somente falando ao anjo da Igreja, pois Ele disse no final “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas”. Porque, então, com esse dinheiro todo, aviões, templos como palácios, e toda a riqueza, o Senhor ainda as chama de miseráveis? Pobres? Porque com todas essas visões e avivamentos, o Senhor ainda as chama de cegas? Com todas essas vestimentas Ele ainda as vê nuas? A prática do dízimo cumpre a Palavra do Espírito segundo a qual “haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E POR AVAREZA FARÃO DE VÓS NEGÓCIO COM PALAVRAS FINGIDAS; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.” Para fazerem de nós negócio, o caminho está traçado há muito tempo: a prática dos dízimos. A Palavra diz expressamente que MUITOS SEGUIRÃO TAIS HERESIAS. Sabemos de antemão que o Novo Testamento iniciou quando Cristo morreu na Cruz conforme Hebreus 916-17 “Porque onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador. Porque um testamento tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o testador vive? Então porque as igrejas insistem em citar as passagens sobre os dízimos quando o Cristo andou na terra de Israel? E não falam das recomendações do povo judaíco? Jesus também foi circuncidado. Porque os cristãos não se circuncidam? Amados irmãos, o véu que separava o lugar santo (santuário) do lugar santíssimo se rasgou em duas partes de alto a baixo. Então, para qual casa, templo, devemos levar os dízimos segundo Malaquias 3? Perguntem para os Judeus? Temo que não sabem mais ler a Bíblia. O senhor Jesus quando Ele veio, antes da sua morte ele disse que “Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel”, e por isso ele pôde dizer em outra parte “Ainda tenho OUTRAS OVELHAS, não deste APRISCO”; também, por isso o Apóstolo Paulo foi feito pelo Senhor apóstolo dos gentios. O que está acontecendo com as igrejas hoje então? Porque tantas doutrinas falsas? Porque o Senhor respondeu aos discípulos quando eles lhe perguntaram “Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?”: levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos; “pois surgirão falsos cristos e falsos profetas, operando sinais e prodígios, para enganar, se possível, os próprios eleitos”; “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores.” É um dos sinais dos fins dos tempos, e o principal, pois o Senhor cita esse sinal em primeiro lugar quando se trata dos fins dos tempos. E o Espírito fala expressamente sobre esses falsos profetas que só querem fazer de nós negócio, só querem nutrir seus ventres com palavras fingidas e perversão da palavra de Deus, ou seja, interpretações sobre interpretações, sobre esses fundamentos eles formaram suas denominações, suas associações de homens. Por isso José falou a seu respeito muito tempo antes “Porventura, não pertencem a Deus as interpretações?” Assim sendo, a prática do dízimo que não faz mais a mesma obra que a Igreja primitiva, como a Palavra de Deus dá testemunho “E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha.” Caros irmãos, eu me sinto envergonhado em dizer que hoje o dinheiro que as igrejas recebem é muito além da medida que os irmãos daquela época podiam levar aos apóstolos, no entanto, no nosso meio se encontram muitos necessitados. Naquela época havia mais de 5000 (cinco mil) homens convertidos e fiéis e cheios de Espírito de Deus. E, não venham com as palavras fingidas segundo as quais, é preciso dar com sacrífico para receber de Deus, pois aqui a Palavra nos diz que o que era trazido aos apóstolos era repartido entre todos os irmãos, e não havia sequer um necessitado no meio de todos eles! E hoje? Onde vai o dinheiro dos dízimos? Louvado seja o Nome de Deus que nos avisou mito tempo antes que isso ia acontecer. Levem os olhos para cima, a qualquer momento Ele pode surgir nas nuvens e os que estão preparados o verão e serão arrebatados, pois os seus corações estão onde estão seus tesouros! Em Filipenses, chorando, o apóstolo Paulo nos disse que “Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.” Prestem atenção nessas palaras que acabei de escrever aqui e saibam que os dízimos e o resto que não condizem com as Escriturs em toda sua extensão são doutrinas de demônios para a perdição daqueles que não são ovehas de Jesus, “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem”, Jamais li nas Escituras sobre dizimistas fiéis, Renascer até morrer etc. Mas, por fim, eu já li “Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas”; “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”; “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”; “Ai de vós, quando todos vos louvarem! Porque assim procederam seus pais com os falsos profetas”; “levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos”; “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos”. Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! vem, Senhor Jesus!

  12. PR. NOÉ LACERDA disse:

    QUANTAS ABERRAÇÕES. HOUVE ATÉ IRMÃOS ACIMA, QUE DISSERAM QUE É O DÍZIMO QUE SUSTENTA A IGREJA.
    QUEM SUSTENTA A IGREJA É O ESPÍRITO SANTO. A IGREJA INDEPENDE DE DÍZIMO PARA GANHAR ALMAS.
    EU VOCÊ OU QUALQUER PESSOA PRECISAMOS DE DINHEIRO PARA SOBREVIVER, NA NOSSA VIDA SECULAR, ISTO É EVIDENDENTE, PARA PARA LEVARMOS O EVANHELHO, DEPENDEMOS APENAS DO ESPÍRITO SANTO E DE BOA VONTADE.
    QUANDO JESUS COMISSIONOU OS DISCÍPULOS EM Marcos 6:8 Ordenou-lhes que nada levassem para o caminho, exceto um bordão; nem pão, nem alforje, nem dinheiro; nem deveis ter duas túnicas.
    Lucas 22:35 A seguir, Jesus lhes perguntou: Quando vos mandei sem bolsa, sem alforje e sem sandálias, faltou-vos, porventura, alguma coisa? Nada, disseram eles. QUEM TEM OUVIDOS QUE NÃO TEM COMICHÕES QUE OUÇAM.
    ÓSCULO SANTO A TODOS
    NOÉ LACERDA COMUNIDADE FONTE DE BETESDA. VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
    FONE 77 8818 8322 BLOG COMUNIDADE FONTE DE BETESDA E PASTOR NOÉ LACERDA

    • santana disse:

      Reverendo, o Sr está certo, e o ponto que o Sr apresentou é muito bom pois os que saíram sem bolsa, em pão… foram nutridos pela ação de Deus nas pessoas e eles em tudo foram nutridos e não passaram necessidades. Aí se cumpre o que Paulo fez referencia do “dá com alegria aquilo que Deus propôs no coração” claro que se formos dá o que Deus propôs em nós além de darmos com alegria, fica uma porta aberta para se dá não só 10% mas até mais que isso. o importante é que se dê com alegria e não por barganha como estamos vendo.

  13. THIAGO disse:

    IMAGINE SE TODAS AS PESSOAS AO INVES DE DAR O DIZIMO PARA INGREJA AJUNDASE OS OS INFERMOS, PESSOAS CARENTES ETC… SERIA UMA BOA IDEIA?
    EU ACHO QUE SÉ VOÇÊ PEGAR 10% E DAR A UMA PESSOA QUE REALMENTE PRECISA VOÇÊ VAI ATÉ CHORAR DE TANTA EMOÇÃO, AO INVEZ DE ENRICAR OS PASTORES QUE SÓ ANDA EM CARRO DE LUXO, AVIOES ETC.. ENQUANTO TEM GENTE PASSANDO FOME. PENSE NISSO COMO DEUS OLHARIA PRA VOÇÊ. EU NÃO TENHO NADA A FALAR SOBRE AS OFERTAS PARA MANUTENÇÃO DA IGREJA, SALARIO, PG CONTA DE AGUA , LUZ ETC.

  14. FELINTO SILVA disse:

    SABEMOS QUE O DIZIMO É EXCLUSIVAMENTE DO POVO JUDEU E SACERDOCIO LEVITICO.E OUTRA: A CONTRIBUIÇAO É LIVRE E NAO E SO EM DINHEIRO,É EM TUDO.SEU TEMPO,SEU TALENTO,SEU AMOR,SUA PAZ,SUA ALEGRIAE NEM SE FALA EM DINHEIRO.2 CORINTIOS :9:7

  15. FELINTO SILVA disse:

    AGORA SABEMOS QUE ESSE SACERDOCIO NAO EXISTE MAIS.PORTANTO O DIZIMO NAO SERVE PRA NADA.SO PRA ENCHER OS COFRES DESSES MALANDROS ESPERTALHÕES.

  16. ester disse:

    Parabéns Pastor!!!
    Concordo plenamente.
    Deus te abençõe e te ajude a falar sempre a verdade.
    Gostaria de saber mais detalhadamente sobre este assunto.
    Um pastor um dia me chamou de ladra.
    E meu patrão disse na minha cara, ele é seguidor deste homem “Silas”, disse q eu nunca iria conseguir nada!

    PARABÉNS!

    • Ivan Toro disse:

      Ester: Jesus te abençõe!
      Procure na Internet o livro “A farsa do Dízimo cristão” e compreenda a verdade sobre isto. Toda a herança que Deus deu a nós está EM Cristo, e foi paga pelo preço da sua valiosa vida. Tome posse dela GRATUITAMENTE, como herança de Pai para filha.
      Leia e releia mil vezes, se necessário, Rm 7:1-7 e Gl 4:21-31 estendendo até 5:4 e você verá que o Novo Pacto da Graça em Cristo Jesus é bem maior do que os judaizantes e falsos legalistas que nem conhecem a Lei nem conhecem a Graça pensam.
      Vai fundo nisso, que a vida abundante te espera na plena suficência do mérito de Cristo, que Satanás tanto se empenha em anular pondo-lhe “remendo velho”.
      O Senhor Jesus te abençõe com “toda a plenitude da divindade que nele habita corporalmente”… e só nele… “pois se houvesse sido dada uma lei que pudesse dar a vida, nossa justificação seria por essa lei”, nos advertiu Paulo em Gálatas, capítulo 3.

  17. Victor disse:

    Aos que desejam estudar mais sobre o assunto, sugiro a leitura do livro
    DESMISTIFICANDO O DÍZIMO, do presbiteriano Paulo José F. de Oliveira, editora ABU.
    É uma abordagem histórica e imparcial acerca do dízimo.
    Entretanto, cuidado. Esse livro poderá fazer mal à sua religião.

  18. geraldos disse:

    de graça receber de graça dai,aquele que nao trabalha bom e quenao coma,comer do suor do teu rostodetermina oSENHOR ,E COM ALEGRIA SERVIR A DEUS VOLUNTARIAMENTE ASSIM NO ULTIMO DIA RECEBERAS TEU SALARIO A COROA DA VIDA ETRNA, AINDA SERASABENÇOADO 100 VEZEZ TANTO NESTA TERRA, OS PASTORES QUE AQUI RECEBEM E COBRAM SEUS GALARDOES JA RECEBERAM AQUI NA TERRA ; POIS FIZERAO DA OBRA DE DEUS NEGOCIOS OUVIRAO ESTAS PALAVRAS APARTAE DE MIMVOZ QUE PRATICAIS INIQUIDADES NAO VOZ CONHEÇO SEUS BODES,TEM QUE SER VOLUNTARIOS NEM DE TORPE GANANCIA E DE GRAÇA A GRAÇA DO FILHO DEDEUS.

  19. geraldos disse:

    QUEM E O LADRAO ? O QUE NAO CONTRIBUI OU O QUE USA INDEVIDAMENTE FRUTO DO AMOR ? LADRAO EO PASTOR QUE FAZ DOS DIZIMOS SEU SUSTENTO PENSANDO SO NO SEU VENTRE, VOU CONTAR PARA VOZ UM ACONTECIMENTO UM HOMEM JA COM OS SEUS 77 ANOS FOI FIEL A SUA SEITA HOMEM HUMILDE ACHAVA QUE ESTAVA AGRADANDO A DEUS SEGUINDO SEU PASTOR,DE TODA SUA PLANTAÇAO SEJA , MILHO , FEIJAO, BATATA ,SEU PASTOR ESTAVA A SUA PORTA PARA BUSCARAS PRIMICIAS AI UM DIA ESTE BOMHOMEN ADOECEU SUA PERNA APRODECEU POR UM DESCUIDO DE UM MACHUCADO AI SEU PASTOR DESAPARECEU POIS NAO PRODUZIA MAIS OMILHO, O FEIJAO , A BATATA ETC,FOI QUANDO FOI TRNSFERIDO DE JOAIMA MG PARA BELO HORIZONTE ONDE O VERDADEIRO PASTOR FEZ QUE NOS CONHECEMOS NO HOSPITALDEIXEI MEU TELEFONE PARA COM ELE , PASSOU SE OS DIAS A NETA DESTE BONDOSO VELHINHO ME LIGOU A PEDIR QUE LEVASSE A TIRAR OS PONTOS POIS TINHA AMPUTADO A PERNA FUI EU COM CARINHO MANIFESTAR O DON DE PASTOR AQUAL DEUS EMPRESTA A QUALQUER UM QUE TEM O AMOR DE JESUS CRISTO NO CORAÇAO,NOTESE ESTE HOMEM SR LORENÇO ANTES DE EU NASCER ELE JA ERA CRENTE, MAS NAO CONHECIA O VERDADEIRO PASTOR, NO CAMINHO PARA O POSTO DESAUDE ELE ME DISSE E IRMAO QUANDO TINHA SAUDE TRABALAVA NA LAVOURA TINHA MUITA FARTURA O ; PASTOR HOMEM; NAO SAIA DA MINHA CASA , AI EU ADOECI ELE ME ABANDONOU. eu preguei PARA ELE E LHEAPRESENTEI O VERDADEIRO PASTOR QUE ESTA ESCRITO LA AM SAO JOAO CAPITULO 10AGORA MEDITA NESTE TESTEMUNHO E LEIA ATENTAMENTE O EVANGELHO,POIS EQUANTO A OVELHA LHE DAVA LA E GORDURA SEU PASTOR NAO SAIA DE PERTO DELE POIS VEIO O LOBO QUE SIGNIFICA A ADVERSIDADE O MECENARIO FUGIU POIS JESUS DISSE QUE ELES SAO MECENARIOS E NAO TEM CUIDADO DAS OVELHAS MAS O BOM PASTORSIM ESTEDA AVIDA PELAS OVELHAS ASSIM ESTE VELHINHO TEVE A FELICIDADE DE CONHECER SEU VERDDEIRO PASTOR , FOI BATIZADO EM NOME DO SENHOR JESUS EM NOME DO PAI DO ESPIRITO SANTO AMEM, DEUS PREPAROU AQUELE QUE FOI ABANDONADO SUA APOSENTADORIA E NA SUA CIDADE UM CULTO RACIONAL DELOUVOR AO CRIADOR 15 EM 15 DIAS NA SUA HULMIDE CASA, POIS EXISTE NA TERRA UM POVO QUE TEM JESUS CRISTO COMO UNICO PASTOR E ELE NAO PRECISA DE DINHEIRO POIS DE GRAÇA ELE NOS DA E DE GRAÇA DAMOS,ONDE SOMOS VOLUNTARIOS PARA SERVIR A DEUS IQUAL TESTIFIQUEI TEMOS O DON DE PASTOR , OQUE FIZESTE A UM PEQUENINO MEU FIZESTE A MIM.

  20. GERALDO disse:

    ???

  21. Wander disse:

    Pastor,caio,que a paz esteja com senhor.
    Concordo plenamente no que o senhor se refere aos lideres que se dizem pastores de ovelhas.Pois hoje a palavra de Deus tem virado comercio para muitos no alto de sua sabedoria biblica tem se enriquecido as custas de pessoas humildes que realmente estão em busca de libertaçao.Pois o absurdo tem acontecido nos tempos de hoje onde trocando em miudos,pastores dozem que se vc nao dizima nao preciza nem oferta pois sua oferta sera maldita para sua igreja.Mas o que me conforta e saber que deus e aqele que tdo ve e em breve muitos desses estarao acertando as contas com ele.pois ele e justo e justiça.A prendi que o homem vivera de seu suor e nao dos outros como vivem os sangue sugas.
    Um grande abraço ao senhor.

  22. sandro disse:

    bom o dizimo e visto antes da lei como vemos abraao em genises 14;20 e mais tarde jaco em genises 28;20,21,22 e no livro de romanos 4;16e17 diz que somos filhos de abraao nosso pai na fe,jesus disse aos farizeus que se eles fossem realmente filhos de abraao como eles memos se ititulavam deveriam fazer as obras de abraao mais jesus os chamava de filhos do diabo por sua proprias obras esta escrito em joao 8;37ao44,odizimo nao e obrigatorio para quem realmente e filho de deus pois ama a deus sobre todas as coisas e ele sabe que todas as coisas sao de deus,entao a casa de meu pai e a minha casa ,e sabemos que nao deus precisa de nosso dinheiro,mas uma maneirade de provar nosso amor e gratidao para com ele.tanto e que eu vejo na minha caminhada aqui nao porque nos damos os dizimos e ofertas que somos abençoados,mais porque amamos o senhor e a sua casa,o dizimo nao e por obrigacao e sim por amor,e so quem ama sabe,mais tem pessoas que nao gostam de dar nada para deus porque sao avarentos,e a biblia mesmo diz que tais pessoas nao entrarao no ceu,pois a avareza e mesmo que idolatria,esta escrito em colossenses 3;5e6,e tambem em apocalipse 22;15,e outra coisa importante nos ja temos tantas dificuldes com o pecado,o mundanismo,a carnalidade,dentro das igrejas hoje e pessoas que querem se justificar de seus pecados diante de deus,acusando pastores,que trabalham para o senhor como biblia mesmo diz o senhor julgara seu povo,dai pessoas mesquinhas,querem ocupar o lugar de deus eu nao me importo de ser julgado,pois ja fiz muito mau na terra ,mas hoje eu sou liberto pela graça,e preciso mais ficar fazendo coisas que me afastao de deus,como vemos em varias partes da biblia como as obras da carne 1corintios 6;10 e galatas 5;19 ao 21.devemos tomar cuidado com nossa salvaçao,se o dizimo e uma erezia que deus pessa conta de nos ate mesmo tirando nossa vida porque nao ?pois estamos ajudando sua casa e seu reino na pregaçao do evangelho,mas e justo diante de deus que ele mesmo pessa contas daqueles que pregam contra pois deus e justo e nao toma o culpado por inocente galatas 6;7.e para terminar a graça nao nos da direito de vivermos no pecado pois se estamos na graça vivemos em santidade leia romanos 6 e veras que salario do pecado e a morte.

  23. Jairo disse:

    Quem é esse tal de deus que todo mundo coloca palavras na boca dele e ele não faz absoluatamente nada?

    Porque todo crente do inferno acha que sabe o que deus (que ele nunca viu e nem vai ver) quer ou pensa?

    Quem neste mundo pode falar em nome de deus? Quem deu autorização?

    • Ivan Toro disse:

      Desculpe, meu amigo, por te responder: COMIGO, FALOU E FALA. E contigo também quer falar… MAS NO CAMINHO DELE… Afinal, quando Cristo subiu à cruz, o fez para levar, também, o que te separa do Pai, para que hoje possas vir sem barreiras para perto d’Ele…E CONHEÇAS QUE ELE FALA CONOSCO, SIM. Bênção para ti, no amor de Cristo Jesus, teu e meu Salvador!
      (Ah!: Eu também falava antes mal da laranja que não havia provado… mas dessas bobagens Ele nos perdoou faz 2000 anos… Vai para junto dele!)

  24. Ten Lauro henchen disse:

    Sobre estes assuntos é fundamental ler o blog: www .laurohenchen.blogspo t.com onde estão todos estes assuntos e continuo desafiando a humanidade a contestar 8º rei do Apocalipse.

  25. roberto pereira disse:

    a paz. todo o ser humano é livre para pensar e agir,e cada um dara conta por si mesmo a DEUS,quanto ao dizimo cada um tem sua opinião mas deve prevalecer sempre a palavra,e como podemos identificar o dizimista eo não dizimista?(olha pra tua própria vida financeira)porque a palavra diz:a arvore se conhece pelos seus frutos,eu duvido que o fiél dizimista seja dezamparado por DEUS, mesmo tendo um pequeno salario(salario minimo) emquanto muitos que tem um grande salario não conseguem sobreviver e vivem querendo encontrar um culpado porque nada da serto.aprenda com o ESPIRITO SANTO e NÃO com uns perturbados que nem testemunha de comunhão com DEUS tem.uma coisa é serta,tem pessoas que andam de mãos dadas com o diabo e se fazem que não sabem,mas o grande dia chegara e que DEUS tenha misericordia daqueles que com palavras torpes tentam atrapalhar os fiéis a DEUS.

  26. GERALDO disse:

    Dízimo – Dizimista

    “DÍZIMO, a maldição da LEI na GRAÇA”.

    “(Romanos 3:5) – E, se a nossa injustiça for causa da justiça de Deus, que diremos? Porventura será Deus injusto, trazendo ira sobre nós?” (Falo como homem).

    Observação: Porque o justo está mendigando o pão, o justo está enfermo, o justo está oprimido, Deus pode mentir?

    Confira: “(Salmos 37:25) – Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão”.

    “Lucas 11.52 – Ai de vós doutores da lei, que tirastes a chave da ciência! Vós mesmos não entrastes e impedistes os que entravam”.

    “1ª João 2.21… Porque nenhuma mentira vem da verdade”.

    “Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo?” (Romanos 2.21).

    INTRODUÇÃO: Há dois concertos no evangelho, a lei dada por Moisés e a graça trazida por Jesus, a primeira (a lei) imposta por Deus aos pecadores injustos e que foi abolida por Cristo, a segunda (a graça) dada gratuitamente aos homens que aceitaram a justiça de Deus somente pela fé em Jesus Cristo. “Uma não pode conviver com a outra senão quebra o concerto e anula as promessas que é somente pela fé”. “Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados” (2 Corintios 13.5).

    Observação: A justiça do homem e a de Deus – “E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus, pela fé” “Filipenses 3.9 – a justiça de Deus não é pela lei e sim somente pela fé”.

    “Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei segue-se que Cristo morreu debalde (em vão) (Galatas 2.21) – A lei anula o sacrifício de Cristo”.

    “Mas agora se manifestou, sem a lei a justiça de Deus,… isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo” (Romanos 3.21,22).

    “Porque o fim da lei é Cristo para a justiça de todo aquele que crê” (Romanos 10.4).

    I-) Jesus tirou toda a lei: “Porque o precedente mandamento é ab-rogado (anulado) por causa da sua fraqueza e inutilidade” (Hebreus 7.18).

    “Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças…” (Efésios 2.15) – os mandamentos eram inimizade de Deus contra Israel, pois não temiam a Deus; Abraão não viveu debaixo de mandamentos, pois, eles (os mandamentos) foram impostos mil anos depois dele.

    “Havendo riscado a cédula que era contra nós, nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira era contraria, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz” (Colossenses 2.14).

    Observação: Ordenança = Lei, ordem, obrigação.

    “Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido”. (2 Corintios 3.14) – veja, Jesus tirou os mandamentos, e não há contradição quando diz: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar (tirar), mas cumprir” (Mateus 5.17).

    – Jesus falava dEle, pois cumpriu toda a lei por nós, é impossível cumpri-la, são mais de 600 (seiscentas) leis, só Deus pôde cumpri-las.

    Observação: Quem usa a lei entra em maldição, pois chama Deus de mentiroso, pois ele afirmou que é impossível para o homem cumpri-la, veja: “Todos aqueles pois que são das obras da lei estão debaixo da maldição, porque escrito está: maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las (Galatas 3.10). “…conforme a mais severa seita da nossa religião vivi fariseu” (Atos 26.5). – Os judeus viveram e vivem dentro de uma seita e na lei, é maldição.

    Observação: Usar qualquer lei é maldição, pois Cristo veio para cumprir toda a lei que para o homem era impossível. Se usar uma tem que cumprir as mais de 600 leis existentes no Antigo Testamento, vejamos:

    “Eis que eu, Paulo, vos digo, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará e, de novo, protesto a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda a lei” (Galatas 5.2,3).

    “Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da Graça tendes caído” (Gálatas 5.4).

    “Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto tornou-se culpado de todos” (Tiago 2.10).

    Observação: Ao usar a lei o homem nega a Cristo, pois, ele veio para tirá-la, chama Deus de mentiroso, pois Ele afirmou que é impossível para o homem cumpri-la, quebra o concerto que é somente pela fé em Jesus Cristo, sem as obras da lei. Hoje a igreja-denominacional está levando a crença em Cristo a maldição, pois usa a lei do dízimo (lei cerimonial), o dízimo era entregue ao sacerdote para o seu alimento e sustento dos sacrifícios, se justificavam nele, Cristo fez o último sacrifício nos justificando. A obra de Deus é crer que estamos justificados pela fé naquele em que Deus enviou.

    “Sabendo isto: que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos…” (I Timóteo 1.9).

    “Porque, se a herança provém da lei, já não provém da promessa; mas Deus, pela promessa, a deu gratuitamente a Abraão” (Gálatas 3.18).

    “Pois, se os que são da lei são herdeiros, logo a fé é vã e a promessa é aniquilada” (Romanos 4.14). – Esses dois versículos acima afirmam que se pudesse usar a lei para alcançar as promessas e a justificação, seria inútil a vinda de Cristo. Este é o motivo da pobreza, das doenças, e das maldições nos crentes, pois estão fora do descanso de Deus, isto é, fora da Graça.

    Observação: O Pentateuco são os cinco livros do judeu, onde se encontram as leis de Moisés impostas por causa do pecado que não se pode usar na Graça, são eles: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, e Deuteronômio, vejam bem, são as leis e os mandamentos que não se pode usar, e não o conhecimento contido neles.

    I-) O Dízimo: Está nos cinco livros da lei de Moisés, portanto é lei! Dizer que o dízimo usado por Abraão (que ainda era pecador) não é da lei, é um engano ou astúcia, pois o pecado já existia e a lei veio por causa dele (o pecado de Adão). A lei veio apontar o pecado, veja:

    “Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe” (Salmos 51.5).

    Dizimar – Lançar imposto de dízima sobre; desfalcar, diminuir, arruinar – Dicionário Silveira Bueno.

    No tempo antigo, as nações que eram dominadas por seus inimigos ficavam sob imposto, as dízimas se refere à obrigação que não pode ser quebrada, um jugo referente à escravidão. Os Assírios colocavam as nações dominadas sob imposto e as que não cumpriam passavam esse país a fogo e a sangue.

    Jesus afirma em (Mateus 17.24-26) que os que pagam imposto não são filhos, veja:

    “… que te parece Simão? De quem cobram os reis da terra os tributos ou os impostos? Dos seus filhos ou dos alheios? Disse-lhe Pedro: dos alheios. Disse-lhe Jesus: Logo, estão livres os filhos”. (veja que os mandamentos foram dados a Moisés para que o povo temesse a Deus e por causa do pecado eram inimigos de Deus, por isso ficaram sob imposto, não eram filhos).

    Observação: A maioria dos teólogos contradiz as Escrituras Sagradas, uns por ignorância da palavra de Deus, outros por astúcia, tendo o pretexto maligno de usar injustamente o dízimo (da lei cerimonial) que era obrigação para os judeus colocando-o indevidamente na graça quebrando o concerto, pois a obra do Senhor é voluntária, mudando a verdade de Deus em mentira, como se o dízimo não estivesse na lei, mas Jesus tirou toda a lei rasgando a cédula do velho testamento, escrevendo-a nas tábuas do nosso coração.

    “Porque este é o concerto que, depois daqueles dias, farei com a casa de Israel, diz o Senhor: porei as minhas leis no seu entendimento e em seu coração as escrevereis; e Eu lhes serei por Deus, e eles me serão por povo” (Hebreus 8.10).

    “Então, disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro (a lei), para estabelecer o segundo (a Graça)” (Hebreus 10.9).

    “Dando nisso a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto, enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo (concerto) (Hebreus 9.8) – Veja que se usar a lei nega-se a crucificação e a ressurreição de Cristo, a lei diz: Pague, a Graça diz: Está Tudo Pago! (João 19:28-29; Colossenses 1:9 a 14; Hebreus 5:1 a 10:39).

    A Lei Cerimonial Regulamentava Toda a Prática do Culto e da Adoração (Levítico 16)

    DIREITOS DOS LEVITAS E DOS SACERDOTES:

    (Deuteronômio 18: (1) – “OS sacerdotes levitas, toda a tribo de Levi, não terão parte nem herança com Israel; das ofertas queimadas do SENHOR e da sua herança comerão. (2) – Por isso não terão herança no meio de seus irmãos; o SENHOR é a sua herança, como lhes tem dito. (3) – Este, pois, será o direito dos sacerdotes, a receber do povo, dos que oferecerem sacrifício, seja boi ou gado miúdo; que darão ao sacerdote a espádua e as queixadas e o bucho. (4) – Dar-lhe-ás as primícias do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e as primícias da tosquia das tuas ovelhas. (5) – Porque o SENHOR teu Deus o escolheu de todas as tuas tribos, para que assista e sirva no nome do SENHOR, ele e seus filhos, todos os dias. (6) – E, quando chegar um levita de alguma das tuas portas, de todo o Israel, onde habitar; e vier com todo o desejo da sua alma ao lugar que o SENHOR escolheu; (7) – E servir no nome do SENHOR seu Deus, como também todos os seus irmãos, os levitas, que assistem ali perante o SENHOR, (8) – Igual porção comerão, além das vendas do seu patrimônio”.

    Dízimo na lei: (Deuteronômio 26.12) “Quando acabares de dizimar todos os dízimos da tua novidade, no ano terceiro…” – Veja que os judeus guardavam anos e o apóstolo Paulo condenou isto: “Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós que haja eu trabalhado em vão para convosco” (Gálatas 4.10,11). Em Deuteronômio 26.13… Conforme todos os teus mandamentos… (foi abolido por Cristo).

    Em Deuteronômio 14.22, 23, 29, o dízimo recolhido na lei a cada ano para ser levado de 3 em 3 anos, era mandamento, uma ordem para que eles aprendessem a temer ao Senhor, veja, estavam sendo ensinados, corrigidos, era um castigo, veja:

    “Certamente darás os dízimos… que a cada ano recolher do campo”… “Para que aprendas a temer ao Senhor”. – Os vejamos não temiam a Deus, era uma correção, um castigo.

    Em Números 18.9, fala dos deveres e direitos dos sacerdotes e levitas da lei e estão incluídos os dízimos e primícias para a administração da tenda da congregação da lei e era estatuto perpétuo enquanto a lei não fosse desfeita com a crucificação de Cristo, veja: Números 8.9, fala com os sacerdotes e levitas: “… elas serão coisas santíssimas para ti (dízimos e primícias)…”; “Toda coisa consagrada em Israel será tua” (Números 14:18) … “Na sua terra possessão nenhuma terás” (Números 18:20; Ezequiel 44:29-30).

    Veja tudo na lei cerimonial.

    O dízimo era costume humano: Quando os israelitas pediram rei e príncipes no lugar de serem guiados por Deus, o Senhor os advertiu que seriam tratados como bastardos, e não como filhos, vejamos: (1 Samuel 8.1-18) “… declara-lhe qual será o costume do rei que houver de reinar sobre ele (sobre o povo)… e as vossas sementes e as vossas vinhas dizimará… Então, naquele dia, clamareis por causa do vosso rei, mas o Senhor não vos ouvirá naquele dia”.

    Observação: A lei e os mandamentos vieram por causa das transgressões, ofensas e incredulidade, Deus colocou o dízimo para tratar os judeus como um povo que não era seu, era um castigo que eles não obedeceram.

    “Não vos deu Moisés a lei? E nenhum de vós observa a lei…” (João 7.19).

    “… como não permaneceram naquele meu concerto, eu para eles não atentei, diz o Senhor” (Hebreus 8.9).

    Sobre Abraão: Abraão quando foi justificado pela fé nunca mais dizimou, mudou de nome, sendo chamado de Abraão, nascendo de novo; Em Hebreus 7.5 o pregador afirma que o dízimo era tomado segundo a lei e não segundo a Graça, e na parte “b” ele isenta Abraão de fazer o mesmo que os filhos de Levi que iam viver em pecado na lei.

    “E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio tem ordem segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham descendido de Abraão” (Hebreus 7.5).

    Observação: Veja que a palavra “ainda” é de separação de não fazer o mesmo que os pecadores da lei. Em (Romanos 4.1-5), Paulo afirma que Abraão não era justo quando dizimou: “Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem que se gloriar, mas não diante de Deus” – “E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem (pecadores)” (Hebreus 7.8) – “Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas sim é Deus de vivos, por isso vós errais muito” (Marcos 12.27).

    Sobre Malaquias: Um profeta da lei, uma pregação estranha à graça, feita á 500 anos a.C. na saída do povo judeu de Babilônia e dirigida escatologicamente aos sacerdotes da lei que roubavam a Deus, eram fracos, mortais e estavam debaixo do pecado; hoje o nosso sacerdote é Cristo, imortal no céu, não pode roubar a Ele mesmo e não profetizou a si mesmo, essa pregação não cabe na graça, é uma mentira do diabo na igreja que nega a Cristo, transformando-o em sacerdote de pecado. Em Malaquias 3.6, o Senhor fala com Jacó que na Bíblia representa os judeus e não os crentes, e falava do dízimo.

    “Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é, porventura, Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor. Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus” (Gálatas 2.17-19).

    Deus critica os judeus por dizimar e sacrificar: Era coisa humana, pecado por falta de fé e não era vontade de Deus, essas coisas O desagradavam:

    “Vinde á Betel e transgredi; á Gilgal, e multiplicai as transgressões; e cada manhã, trazei os vossos sacrifícios e, de três em três dias os vossos dízimos…” (Amós 4.4).

    “Por isso, também vos dei limpeza de dentes em todas as vossas cidades e falta de pão em todos os vossos lugares, contudo, não vos convertestes a Mim, disse o Senhor” (Amós 4.6).

    “Porque nunca falei a vossos pais, no dia em vos tirei da terra do Egito, nem lhes ordenei coisa alguma a cerca de holocaustos e sacrifícios” (Jeremias 7.22) – “Porque disso gostais, ó filhos de Israel…” (Amós 4.5).

    Pregações malignas na Graça:

    Eles dizem: – O dízimo é bíblico! Mas bíblico é tudo o que está na Bíblia. O sábado e o sacrifício são também bíblicos, só que, na lei e não na Graça assim como o dízimo também, por ser da lei é uma maldição.

    Eles dizem: Em (Mateus 23:23) – Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.

    Jesus apoiou o dízimo. – Mas na verdade Jesus exortava aos judeus, porque ainda estavam no tempo da lei, assim como, Jesus mesmo estava e não cumpriam a lei, veja:

    “Mas, vindo à plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gálatas 4.4).

    Eles dizem: – O dízimo é santo! Mas o dízimo era santo na lei cerimonial porque era consagrado a Deus para o sacrifício e só podia ser usado dentro do tabernáculo da lei e não podia ser usado fora do templo como hoje se usa indevidamente negando a Cristo, isto não é a obra de Deus na Graça! (Hebreus 13:9 a 16).

    Eles dizem: – Porque mais bem aventurado é dar do que receber! Mas isto foi ensinado aos apóstolos e não para as ovelhas, Paulo dizia aí: “De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem a veste” (Atos 20:31-35).

    Eles dizem: – Fazei prova com Deus! – Mas Deus disse: “Fazei prova de Mim,” “INCRÉDULOS!” Sabe por quê?

    “Pede-me, e Eu te darei as nações por herança e os confins da terra por tua possessão” (Salmos 2.8).

    “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis TUDO o que quiserdes, e vos será feito” (João 15.7) – Ser fiel é obedecer ao concerto vigente, somente pela fé em Cristo sem a lei * (1 Samuel 15:22) – Porém Samuel disse: “Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros”.

    Observação: Toda religião ou seita usa a Bíblia por causa de Malaquias para tirar dízimo do povo, só que isto anula o sacrifício de Cristo e torna o homem infiel, pois Malaquias não é da graça e Jesus nunca falou sobre ele, esqueceu?

    Conclusão: A visão da igreja hoje é triste e desoladora, reunir multidões oprimidas (que nunca se libertam) pobre, sem fé, doente, dando testemunhos falsos, com ministérios divididos, com profecias falsas, mentirosas, no espiritismo, na carne como as outras religiões de nada há de proveito para o povo, usar a lei na Graça é negar a salvação, usar prosélitos como: Copo de água, fogueira santa, voto, corrente, campanhas, primícias que Jesus condenou é negar a vinda do Consolador que diz: “E tudo o que pedirdes na oração, crendo o recebereis; Até agora, nada pediste em Meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria se cumpra” (Mateus 21.22; João16:24). – O sangue dos desviados que morreram por isso tudo está nas mãos desses doutores da lei. – “… se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo” (Gálatas 1.10 b) “… honraram e serviram mais a criatura do que o Criador…” (Romanos 1.25) – “Maldito aquele que fizer a obra do Senhor fraudulentamente” (Jeremias 48.10) “… pela lei vem o conhecimento do pecado” (Romanos 3:(20) – Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque PELA LEI VEM o conhecimento do pecado.

    – Ao conhecer a verdade não há mais desculpa nos tornamos transgressores ao desobedecer aos ensinos do Senhor Jesus, é levar o Seu sacrifício ao vitupério (Hebreus 6:6).

    (à ignomínia, O autor sagrado lembra aqui a dor e o tratamento rude e ignominioso que Jesus sofreu, quando foi sujeitado às crueldades de homens ímpios e desvairado).

    (Romanos 15:1 a 13); (Efésios 5:1 a 17); (Hebreus 5:11 a 6:20).

  27. Benjamim disse:

    AGORA JA FOI…

    Caio, a fé não é de todos! Quem ama a DEUS, e quer ajudar a obra DELE, deixe, que o façam. Será, que, as igrejas que vc ministrou não pediam dizimos? Hoje tenho, 46 anos, sou dizimista desde os 22. Deus tem me abençoado, sou feliz! MATEUS: 20:15.

  28. Presb. Edvaldo disse:

    Amados irmãos, sou presbítero em uma igreja que conhecidamente cresceu pregando a obrigatoriedade dos dízimos. Tenho lido e estudado muito sobre o assunto, não quero pecar contra o meu Senhor e busco alcançar a vida eterna. As pregações sobre roubar a Deus por não devolver o dízimo há muito me perturbam, porém a palavra é clara, não há obrigatoriedade e sim liberalidade, lamentavelmente vemos líderes eclasiásticos, à exemplo dos políticos, reunindo-se em convenções caríssimas, em igrejas e centros de convenções suntuosos, bancados por quem? Carrões, aviões, luxo, vestes de marca, anéis, anéis, anéis, quem foi que disse que anelzão no dedo faz de alguém, alguma coisa? Muitos se declarando detentores do poder, usados nas mãos do Senhor, com pregações poderosas, causando emoções em platéias, eu afirmo que Deus está nas coisas sinples, Jesus foi homem simples, os apóstolos (menos João) morreram de formas brutal, viveram em precárias condições financeiras. Não faço apologia á miséria, creio que qualquer pessoa pode conseguir patrimônios, ter dinheiro para bancar necessidades além das básicas, mas trabalhando e não na frente de uma igreja, liderando o povo do Senhor, como pastor, este homem deve viver modestamente, com recursos suficientes para seu sustento e de sua família, nada de dar um carro para cada filho, esbanjar dinheiro com viagens, comprar roupas caras e encher suas mulheres de jóias, sem medo de errar, todos que fazem isto, terão que responder ao Senhor por isto, pois com certeza deixaram de atender aos órfãos e viúvas, para se refastelarem com as bençãos que não lhes pertencia.

    • Ivan Toro disse:

      Amém! O irmão está aprendendo o Caminho da Graça VIVA. Continue por aí e será uma bênção GRATUITA para todos ao redor de você.
      Jesus te abençõe com muito mais d’Ele!

  29. adelino disse:

    quem vai cuidar da igreja si tirar o dizimo ? concordo com o presb.Edvaldo vão pagar por administrar o dizimo errado .

  30. geraldo disse:

    paz de DEUS a todos, QUEM CUIDA DA IGREJA E O DONO DELA, JESUS E A CABEÇA E O ESPIRITO SANTO SUA GUIA, E OS CORAÇOES PERTENCE A DEUS O ESPIRITO SANTO COMANDA E PEDE NOS CORAÇOES QUE VOLUNTARIAMENTE CONTRIBUE SEGUNDO O PROPOSITO EM SEUS CORAÇOES NAO POR NECESSIDADE MAIS COM ALEGRIA, POIS DEU AMA AQUELE QUE DA COM AMOR E NAO GEMENDO POIS DEUS NAO PRECISA DE OURO POIS TUDO ESTA NAS SUAS MAOS, AQUI NA TERRA TEM U POVO ABENÇOADO QUE NAO SAO DIZIMISTAS POIS ELES SAO POVO DA GRAÇA NAO ESTAO NO JULGO DA LEI , POIS A LEI JESUS CUMPRIU TODA POR NOS DERRAMOU SEU PRECIOSO SANGUE E NOS DEIXOU SUA GRAÇA TEMOS 19400 IGREJAS TUDO COM A PREPARAÇAO DOS CORAÇOES VOLUNTARIOS.

  31. geraldo disse:

    continuano 19400 IGREJAS EM TODO TERRITORIO BRASILEIRO NAO PRECISAMOS COBRAR DIZIMOS DE NINQUEM FORA AS QUE TEM NOS QUATRO CANTO DA TERRA EXTERIOR ,E TUDO COM ZELO POIS DISSE JESUS CHAMEI PARA MIM UM POVO ZELOSO ESPECIAL E DE BOAS OBRAS ,,,,,, ALEM DE CONSTRUIR , MANTER, SE AJUDA OS POBRES AQUELE MENOS FAVORECIDOS SABE PORQUE ? POIS TODO O DINHEIRO QUE ENTRA VOLUNTARIAMENTE NESTA OBRA NAO SE PAGAR A NINQEM PARA PREGAR NINQEM PARA CONSTRUIR TODO MINISTERIO SAO TAMBEM VOLUNTARIOS POR ISSO JESU PROSPERA SUA OBRA ,POIS TODOS TRABALHEMOS E COMEMOS COM O SUOR DE NOSSOS ROSTO NAO SENDO PESADO A NINQUEM E AQUELE QUE NAO TRABALHA BAO QUE NAO COM , VAI TER COM AS FORMIGINHAS PASTORES BRAÇO CURTO EIS ELAS DAO EXEMPLO.

  32. arivalny disse:

    ACHO LAMENTAVEL,O PASTOR CAIO FABIO,VIR AQUI FALAR ESTAS COISAS E DESAFIAR PASTORES,POR FATO QUE ELE ACHA ESTA ERRADO OCE NAO PODE INDUSIR NINQUEM EU SOU DISIMISTA E DEZ PO CENTO ISSO NAO VAI ME EMPOBRECER ESTOU DEVOLVENDO O QUE E DE DEUS SE ALGUEM FAZ USO INDEVIDO E POBLEMA DELES VAO PRESTAR CONTAS COM DEUS POREM ACHO QUE O SR.FABIO ESTA CUSPINDO NO PRATO QUE COMEU OU NUNCA COBROU DIZIMO?O QUE VCS ESTAO FAZENDO E ESCANDALIZANDO O NOME DE JESUS SEMPRE QUE SAE UMA BAIXARIA BRIGAS QUE ENVOLVE PASTORES AS PESSOAS BLASFEMAM E NOS JUGAM,ONDE ESTA O AMOR DE DEUS,CADE O PERDAO,PORQUE NAO VAO ORAR UNS PELOS OUTROS EU ME ENVERGONHO DESDE EVANGELHO E DESTES LIDERES QUE QUEREM APARECER QUEREM BRILHAR MAIS QUE JESUS

  33. Joel disse:

    O Pr.Caio Fábio está coberto de razão e principalmente embasado por textos Bíblicos; porque essa mentira chamada “Santo Dízimo” só funcionada para àqueles que são beneficiados com esta ordenança MORTA e sepultada por Cristo (Messias), ou seja, aqueles que recebem os 10% de muitos coitados, que muitas vezes, são asalariados ou até desempregados; e eu pergunto:onde está as bêñçãos dessas pessoas que são fiéis a mais de 20 ou 30 anos? ou será que Mal. 3:10 não é um texto direcionado para a Igreja? …As pessoas têm que examinar a Palavra de Deus sem colocar sua dependência nesses MERCENÁRIOS (pastores) que só querem DINHEIRO e não a salvação desses coitados!! Abraços. Joel -C. Grande – MS.

  34. Sandro M. V disse:

    Eu apoio o Pr. Caio Fábio…
    e com certeza esses pastores ( mercenários ) não vão se
    defender mesmo, pois eles nem tem com o que.
    A bíblia é muito claro qnd mostra q o dízimo caiu após a morte de Jesus.

    Para ( arivalny ) eu pergunto:
    Onde na bíblia explica q devemos DEVOLVER o dízimo ?

    Ainda bem q as pessoas estão começando a ler mais seriamente a bíblia
    e estão descobrindo q estão sendo enganados por ( pastores).

    Logo todo mundo saberá q o dízimo não pertence a graça ( em que vivemos ).

    Um abraço a todos

  35. fabio disse:

    PRIMEIRAMENTE A PAZ DO SENHOR!!!

    SABENDO EU QUE NÃO SOU DONO DA VERDADE, QUE É O MEU ARREPENDIMENTO E O MEU QUERER QUE JESUS CRISTO SEJA SEMPRE MEU SENHOR E SALVADOR E É ISSO QUE TRÁS A SALVAÇÃO AOS DESGARRADOS E AOS PERDIDOS, SABENDO QUE O CUMPRIR DA LEI NÃO TRÁS SALVAÇÃO MAS A GRAÇA DE DEUS PAI E O DERRAMAMENTO DO SANGUE DE JESUS NA CRUZ DO CALVARIO, SUA MORTE E SUA RESSURREIÇÃO, PROCURAREI EXPOR MINHA IDÉIA DE DÍZIMO.

    O DÍZIMO VEIO ANTES DA LEI COM ABRAÃO, JACÓ;
    A LEI TROUXE A OBRIGAÇÃO EM DEVOLVER O DÍZIMO
    GRAÇA NOS TRÁS PRAZER EM DEVOLVER O DÍZIMO E COM ELA A CONSCIENTIZAÇÃO DA RESPONSABILIDADE DE FINANCIARMOS A OBRA DE DEUS (NÃO LANÇANDO A MÃO DO ARADO);
    SE O DÍZIMO NÃO É BEM EMPREGADO ONDE VC DEVOLVE A DEUS; É SIMPLES DÊ ONDE ELE É EMPREGADO NA OBRA DE DEUS;
    ONDE TEM O SER HUMANO TEM FALHAS, EU FALHEI E POSSO FALHAR E TODOS NÓS FALHAMOS E PODEMOS FALHAR COM NOSSO DEUS;
    O QUE ME ESPANTA É ALGUÉM VITUPERAR O SACRIFICIO DE CRISTO POR FALTA DE ENTENDIMENTO, É ALGUÉM DEVOLVER O DÍZIMO PORQUE EM MALAQUIAS DEUS DISSE ATRAVÉS DO SEU PROFETA PARA FAZER PROVA DELE, SABENDO QUE DEUS É FIEL NÓS NÃO PRECISAMOS FAZER PROVA DO SOBERANO E ETERNO DEUS. QUANDO SE DEVOLVE COM ESSA INTENÇÃO TRANSFORMAMOS NOSSAS OBRAS DE FÉ EM OBRAS MORTAS. DEVEMOS SIM, DEVOLVER O DÍZIMO AO SENHOR, MAS COM UM CORAÇÃO CONSCIENTE, CHEIO DE AMOR PARA A SUA OBRA, PARA INVESTIRMOS NO ALCANCE DE ALMAS E O PRÓPRIO JESUS CUMPRIU TODA A LEI E A PALAVRA DISSE QUE ELE NÃO VEIO PARA ABRROGAR A LEI, MAS PARA CUMPRI-LA. BEM SOMOS SEUS DISCIPULOS E NÃO MATAMOS PQ JESUS NUNCA MATOU, MAS DEU VIDA/NÃO ROUBAMOS PQ JEUS NUNCA ROUBA, MAS SEMPRE RESTITUIU/ NÃO ADULTERAMOS PQ JESUS NUCA ADULTEROU, MAS SEMPRE AMOU E AMOU COM AGAPE E NÃO COM EROS, ESTROGUE OU FILUS.
    ENFIM FAZEMOS A OBRA PQ AMAMOS A JESUS CRISTO E TEMOS ELE COMOEXEMPLO A SER SEGUIDO, POIS O NODONO DO NOME SOBRE TODOS OS NOMES É O NOSSO ALVO E NÓS PELA SUA INFINITA GRAÇA E MISERICORDIA O ALCANÇAREMOS EM UM CORPODE GLORIA, POIS ESSA É SUA PROMESSA E ELE É O DONO DA IGREJA (EDIFICIO) E O DONO DO TEMPLO (INDIVIDUO). ESTE É A MINHA BREVE E RESUMIDA OPINIÃO SOBRE O DÍZIMO E SOBRE A OBRA DE DEUS.

    FABIO ALESSANDRO DA SILVA

  36. José Paulo Lima disse:

    Fariseus, hipócritas porque será?

    Mateus 23
    23 Ai de vós, escribas e (fariseus, hipócritas)! Porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas.
    24 Guias cegos! Que coais um mosquito (dízimo), e engolis um camelo (as demais coisas).
    Lucas 18
    9 Propôs também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:
    10 Dois homens subiram ao templo para orar; um (fariseu), e o outro publicano.
    11 (O fariseu), de pé, assim orava consigo mesmo: ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este (publicano).
    12 Jejuo duas vezes na semana, e dou o (dízimo de tudo quanto ganho).
    13 Mas o (publicano), estando em pé de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: ó Deus, (sê propício a mim, o pecador)!
    14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado; mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado. (Cadê o dízimista?)
    Mateus 17
    24 Tendo eles chegado a Cafarnaum, aproximaram-se de Pedro os que cobravam as didracmas, e lhe perguntaram: O vosso mestre não paga as didracmas?
    25 Disse ele: Sim. Ao entrar Pedro em casa, Jesus se lhe antecipou, perguntando: Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra (imposto ou tributo)? dos seus filhos, ou dos alheios?
    26 Quando ele respondeu: Dos alheios, disse-lhe Jesus: Logo,são isentos os filhos. (Hoje somos) filhos!)
    27 Mas, para que não os (escandalizemos), vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir e, abrindo-lhe a boca, encontrarás um estáter; toma-o, e dá-lho por mim e por ti.
    Significado de Dízimo. adj. A décima parte.
    (Imposto) que consistia no pagamento, à igreja ou à nobreza, da décima parte dos frutos colhidos.
    P. ext. (Imposto, tributo).
    (hi. pó.cri.ta) a2g.
    1 Que simula ter uma qualidade ou sentimento que não tem, ou finge ser verdadeira alguma coisa (sabendo que não o é); FINGIDO; FALSO.
    (fa.ri. seu)
    a.
    1 Que aparenta falsa honestidade
    2 Rel. Ref. a seita judaica existente no séc. II a.C., cuja observância das prescrições religiosas era rigorosa
    3 Que segue uma religião de modo formalista
    4 Fig. Que se mostra ou se comporta de modo orgulhoso ou hipócrita
    sm.
    5 Pessoa que procura aparentar uma honestidade que não possui
    6 Rel. Membro de uma seita judaica do séc. II a.C. que se caracterizava pela rigorosa observância dos prescrições religiosas [Os seguidores desta seita foram acusados pelos evangelistas de serem formalistas e hipócritas.]
    7 P.ext. Indivíduo que segue uma religião de modo formalista
    8 Fig. P.ext. Indivíduo orgulhoso ou hipócrita
    [ Fem.: fariseia]
    [F.: Do aramaico perisajja, pelo gr. pharisaios, pelo lat. pharisaeus.]

    Hebreus 7
    5 E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a (lei), de tomar os dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que estes também tenham saído dos lombos de Abraão;
    9 E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos,
    10 porquanto ele estava ainda nos lombos de seu pai quando Melquisedeque saiu ao encontro deste.
    11 De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (pois sob este o povo recebeu a lei), (que lei o povo recebeu? Não foi a lei do dízimo?), que necessidade havia ainda de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não fosse contado segundo a ordem de Arão?
    12 Pois, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da (lei).
    13 Porque aquele, de quem estas coisas se dizem, pertence a outra tribo, da qual ninguém ainda serviu ao altar,
    14 visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, tribo da qual Moisés nada falou acerca de sacerdotes.
    15 E ainda muito mais manifesto é isto, se à semelhança de Melquisedeque se levanta outro sacerdote,
    16 que não foi feito conforme a lei de um mandamento carnal, mas segundo o poder duma vida indissolúvel.
    17 Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.
    18 Pois, com efeito, o mandamento anterior é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
    19 (pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou), e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual nos aproximamos de Deus.

    O pai

    NÚMEROS 15
    1 Depois disse o Senhor a Moisés:
    2 Fala aos filhos de Israel e díze-lhes: Quando entrardes na terra da vossa habitação, que eu vos hei de dar,
    3 e ao Senhor fizerdes, do gado eu do rebanho, oferta queimada, holocausto ou sacrifício, para cumprir um voto, ou como oferta voluntária, para fazer nas vossos festas fixas um cheiro suave ao Senhor,
    O filho
    Hebreus 10
    5 Pelo que, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas um corpo me preparaste;
    6 não te deleitaste em holocaustos e oblações pelo pecado.
    7 Então eu disse: Eis-me aqui (no rol do livro está escrito de mim) para fazer, ó Deus, a tua vontade.
    8 Tendo dito acima: Sacrifício e ofertas e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem neles te deleitaste (os quais se oferecem segundo a lei);
    9 agora disse: Eis-me aqui, o Deus para fazer a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo. (Segundo o que)?
    10 É nessa vontade dele que temos sido santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez para sempre.

    Hebreus 13
    9 Não vos deixeis levar por doutrinas várias e estranhas; porque bom é que o coração se fortifique com a graça, e não com alimentos, que não trouxeram proveito algum aos que com eles se preocuparam.
    10 Temos um altar, do qual não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo.

    Números 18
    21 Eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo serviço que prestam, o serviço da tenda da revelação.
    24 Porque os dízimos que os filhos de Israel oferecerem ao Senhor em oferta alçada, eu os tenho dado por herança aos levitas; porquanto eu lhes disse que nenhuma herança teriam entre os filhos de Israel.

    20 Disse também o Senhor a Arão: Na sua terra herança nenhuma terás, e no meio deles nenhuma porção terás; eu sou a tua porção e a tua herança entre os filhos de Israel.

    •ROMANOS (cap. 4)•
    14 Pois, se os que são da lei são herdeiros, logo a fé é vã e a promessa é anulada.
    •GÁLATAS (cap. 4)•
    7 Portanto já não és mais servo, mas filho; e se és filho, és também herdeiro por Deus.
    Quem recebia dízimos e ofertas não tinha herança, e ai???????????????????????????????
    Por: José Paulo Pedro de lima

  37. José Videira disse:

    O dízimo é a lei e como tal não deve mais ser obedecida, porque não há como conciliar Velha Aliança com a Nova Aliança em Cristo. Em Cristo o dízimo é a coisa mínima tão legalista e execrável, que Jesus disse que se a nossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de maneira alguma entraremos no seu Reino. Na Graça, tudo é do Senhor. 100% de tudo o que temos é DELE enão damos nada a Ele, apenas devolvemos uma parte para financiar o Evangelho. Mas essa doação deve ser feita com alegria. Se for para ser dada com tristeza, como se estivessa arrancando um pedaço da pessoa, então Deus não aceita essa oferta. É melhor não dar nada do que dar obrigado. Tem que haver amor em tudo. Há muito legalismo nessa questão do dízimo e totalmente desviado da verdade do Evangelho. Sabemos que o ministério de Cristo era financiado por algumas mulheres para custear as despesas de Sua missão. É fato notório que as pessoas que frequentam a igreja hoje devem custeá-la, assim como pagam suas contas mensais de água, luz, academia, etc. Infelizmente o povo de Deus pouco contribui porque não entende esse miniatério. Maior coisa é dar do que receber. As pessoas são mesquinas e retém, guardam, poupam e pouco se dispõe a colaborar com o Evangelho. Agora se a pessoa está passando necessidade, ou tem pais pobres que precisam de ajuda, é claro que devam primeiramente socorre-los, lembrando que Jesus criticou os Fariseus que não ajudavam os pais necessitados, justificando que era oferta ao Senhor. Jesus criticou-os usando até mesmo a lei deles, referindo-se ao mandamento de honrar os pais.
    Nada de maldição de Malaquias 3, ou ira de Deus, cairá sobre quem não der o dízimo ou mesmo um valor maior. Você estará sendo apenas irresponsável para com a obra do Senhor e não estará ajudando na propagação do evangelho.
    E, para não deixar dúvidas quanto á minha pessoa, sou mais do que dizimista há 38 anos, mas não é por isso que defendo a posição dos mercadores da Palavra que transformaram a Igreja de Cristo em mercado de troca de bênçãos por dinheiro. Nesses sim, a ira de Deus um dia irá se manifestar.
    Acho que esse texto é suficiente para os irmãos entenderem este assunto.
    Na graça e paz do Senhor Jesus Cristo,
    pr Videira

  38. Adilson Batista da Costa disse:

    A bíblia nao diz que o Critao é obrigado a pagar o dízimo.Os que utilizam o argumento do dízimo obrigatório de Malaquias 3, parece que jamais leram o Novo Testamento,que nos mostra claramente que o devorador foi vencido em nossa vida,independente de dízimos.Veja o que nos mostra o Novo Test:1Já estamos abençoados -Ef 1:3; 2-O devorador já foi derrotado-Hb 2:14; 3-O devorador { o máligno nao pode nos tocar em nosso bens e nem em nossa casa-1Jo 5:18; 4-Já nao há condenaçao-Rom 8:1;5-Já nao há acusaçao Rom 8:33;6-Já nao mais maldiçao-Gal 3:13; 7-Já nao há mais divida – Col-2:14; 8-Já nao há juizo-Jo 5:24;9-Já nao há sacrificio Hb-10:14.

  39. Giva disse:

    Podemos então, por não estarmos diante da lei, viver segundo os ditames do nosso coração? Vivendo a Graça de acordo com a nossa visão de vida? Vivendo a vida “cristã” em função dos nossos conhecimentos, interpretações e etc…
    Se tudo o que está na palavra foi escrito para o meu crescimento espiritual, por que vou, eu, me influenciar por estudos das “privilegiadas mentes”, que se encontram acima da Palavra de Deus?
    Louvo a Deus pela interpretação e condição pelo Espírito de sua aplicação na minha vida, e não vivendo engessado pelo conhecimento interpretativo de terceiros, sigo em frente aguardando o grande e gloriosos dai em que, receberei o galardão que me dará Deus, não por viver sob o comando desses “GIGANTES” da interpretação bíblica, mas em função da revelação particular de Deus ao meu coração.

    Meus queridos, muito cuidados com as influências. Existe um adágio popular que diz: “DIGA-ME COM QUEM ANDAS E DIREI QUEM ÉS”. muito cuidado. Deus os abençoe.

    • Giovanni disse:

      Diga-me com quem andas e te direi quem és não cabe em muitas situações e para muitas pessoas.
      Os judeus se escandalizaram por Jesus andar com publicanos, com samaritanos, com pobres coitados e assim por diante.
      Paulo era extremamente temido pelos primeiros cristãos, mas Deus estava destruindo os velhos conceitos de Saulo e reconstruindo-o como vaso de honra e Apóstolo dos gentios.
      Sugiro que estude mais e que tome cuidado com a precipitação.
      Graça e Paz.

    • Ivan Toro disse:

      Meu querido: Não pelos ditames do coração.
      Antes, pelos ditames do Espírito Santo, como disse Jesus: “Quando vier, porém, o Espírito da Verdade, ele vos guiará a TODA a verdade… e voa anunciará as coisas que hão de vir” (Jo 16: 13-15).
      Para isto é, porém, necessário RECEBER o Espírito Santo nos moldes de Atos, capítulo 2. E “quem não tem o Espírito, não é de Cristo”. antes de falar, é preciso olhar para dentro, e verificar se o que sai da nossa boca vem do Espírito da Verdade, para que edifique.
      Leia, por favor, Gl 4: 21-31… umas 10.000 vezes em oração… Se a questão é Vida ETERNA, então é bom sabermos ONDE É QUE ELA ESTÁ.
      A Paz e a Graça todo-suficientes de Cristo Jesus sejam contigo!

  40. jose domigos da silva disse:

    eu pre siso sabe sobri dizimo eo brigatoro onão ou seda o que seti ? a onde e asua igreja?

    • Ivan Toro disse:

      Busque na Internet, de Graça, o livro: A farsa do Dízimo “cristão”.
      Você vai entender .
      O Jesus do Novo Pacto da Graça te abençõe!

  41. wagner disse:

    Somos salvos pela graça e não pela obras, lutero descobriu que o justo não vive pelo o que faz, mas pela confiança que nós temos no salvador, Da o dizimo nao implica na salvação de todos nós pois O Senhor Jesus disse: Quem crer será salvo, pois então, é igual o batismo, muitos pensam que se não de batizarem não vão entra o reino do Senhor. Assim o dizimo não vai garantir a sua salvação. Nós precisamos é acreditar naquele que morreu e ressuscitou e nos justificou. Amém

  42. anonimo disse:

    mateus 23 v 23 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.
    Jesus esta dizendo neste versículo que a lei não era apenas o dízimo Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos ou seja ele não esta mandando os gentios cumprir a lei, mas criticando os escribas e fariseus por cumprir apenas parte da lei. E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei Gálatas 5:3

    Romanos 10 v 4 : Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele
    que crê.

    Hebreus 7 v 18 Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da
    sua fraqueza e inutilidade

  43. Miguel Archanjo disse:

    Deus não come,Deus não usa carro,Deus é espírito e por isso ele não precisa de dinheiro.É muito simples,pergunte ao irmão Caio.Deus não tem Banco para botar dinheiro.No Reino de Deus não precisa de dinheiro não.Ele é dono do ouro e da prata.O meu Deus é rico,por isso eu não dou o dízimo.Dou oferta e ajudo sempre que posso ao meu proximo.Cristo é o Caminho a Verdade e a vida.Irmãos de todas as crenças,ensine o evangelho sem cobrar dízimo,eu mesmo ensino o evangelho que é a palavra de Deus e não cobro nadinha,ensino de graça. Deus é Pai,Deus é bom Archanjo
    anjo

  44. Sidney de Oliveira Baltar disse:

    O fato é que nos impuseram mais este tributo religioso além dos que os nossos governantes já nos impõem. Já estou com a idade avançada e quando comecei a despertar para esta realidade bíblica, através de alguns pastores sérios e irmãos que se debruçaram sobre a bíblia, a fim de nos alertar para esta prática que só tem beneficiado estes pastores mercenários. Eu tiro pela minha igreja, não que o pastor ganhe uma fortuna, mas pelo porte da igreja deveria receber bem menos. Mas quando se fala em ajudar os pobres, os necessitados, os enfermos e doentes é difícil e complicado. Mas o que eu quero dizer que agora já tenho outro pensamento a respeito do dízimo. Concordo com o pastor Caio e os demais irmãos conhecedores da palavra de Deus e deixei de dar o dízimo e. apenas, oferto e procuro ajudar aqueles necessitados da igreja, com a consciência limpa diante de Deus que eu não o estou roubando. Essa idéia é para engordar os bolsos de falsos pastores, que não têm o chamado de Deus para o ministério, mas em contrapartida é um excelente mercado de trabalho.

  45. Ivan Toro disse:

    O Novo Pacto da Graça em Cristo é NOVO.
    E HERANÇA NÃO SE DEVOLVE.
    Ademais, não se trata de seguir esta ou aquela doutrina, mas de ter de fato a vida eterna… e, esta, a lei jamais deu a ninguém, pois se pudesse dá-la, não precisaria vir Cristo morrer em nosso lugar, bastando seguir essa lei supostamente vivificadora, conforme nos ensina Paulo, o apóstolo de Cristo, em Gl 3: 21-22.
    E a vida eterna está no Espírito de Cristo, sendo este o motivo pelo qual Paulo disse: “Quem não tem o Espírito, não é de Cristo” (Rm 8:9) e “de Cristo vos desligastes vós que procuráis justificar-vos na lei; da Graça decaístes” (Gl 5:4).
    Os judaizantes que envenenam o Evangelho com o “remendo velho” da lei deveriam perceber que estão fechando as portas da vida eterna para muitos por esse caminho.
    Mas, fazer o quê?… Eles não percebem.
    Nos resta, como Jesus, clamar: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”.
    Ánimo, Pr Caio!
    Ánimo, todos os que são da genuína Graça em Cristo Jesus!
    …O Senhor vem!

  46. REV. OSMÁRIO DE ANDRADE disse:

    ESTOU CERTO QUE DEUS NOS CHAMOU PARA PREGAR O EVANGELHO A TODA CRIATURA, (Mc cap 16 vers 15) E NÃO PARA POLEMIZAR! SE EVANGELHO É = BOAS NOVAS, O QUE LEMOS ATÉ AGORA? A PRIMEIRA VEZ QUE A PALAVRA DÍZIMO APARECE ESCRITO NA BÍBLIA SAGRADA, É EM GN. CAP 14 VERS 20, E A PALAVRA DÍZIMO ESTÁ ESCRITO EM HEBRAICO : “ma’ser” QUE QUER DIZER: VOLTAR-SE Á DEUS OU SE APROXIMAR-SE DE DEUS. E NA ALUDIDA PASSAGEM, VEMOS UM
    ABRÃO RICO, C/ MUITOS DESPOJOS DAS PELEJAS, E “VOLTOU-SE Á DEUS, ENTREGANDO SEU DÍZIMO”. FICO PENSANDO, PQ SERÁ QUE DEUS O “INSPIRADOR” DA BÍBLIA, “INSPIRA” O ESCRITOR AOS HEBREUS CAP 7, A LEMBRAR-NOS DO DÍZIMO? SERÁ QUE SEM NENHUM PROPÓSITO? É BEM VERDADE QUE O DÍZIMO NÃO É OBRIGAGTÓRIO, MAS COM CERTEZA, ENTREGAR O DÍZIMO É ACIMA DE TUDO GRATIDÃO; QUANTAS IGREJAS SÉRIAS, USAM CORRETAMENTE OS RECURSOS ADVINDOS DOS DÍZIMOS E OFERTAS VOLUNTÁRIAS, PARA PAGAR AS DESPESAS DA IGREJAS COMO: ALUGUEL, LUZ, ÁGUA, TELEFONE, IMPRESSÃO DE BÍBLIAS, LICÕES DOMINICAIS, MISSIONÁRIOS QUE TRABALHAM MUITO MAIS QUE 8 HORAS POR DIA NA SEARA DO MESTRE! QUANTOS TESTEMUNHOS QUE VEMOS E OUVIMOS DE MISSIONÁRIOS QUE LEVAM CENTENAS DE PESSOAS A CRISTO? SE ELES NÃO FOSSE DE TEMPO INTEGRAL, CONSEGUIRIAM IR ATRÁS DAS ALMAS, DISCIPULÁ-LAS, TREINÁ-LAS, TRABALHAR 8, 16 OU MAIS HORAS POR DIA? FINALIZO DIZENDO QUE PERSUADIR NOSSOS IRMÃOS(ãs) Á NÃO ENTREGAR SEU DÍZIMO, (na minha visão) É TÁTICA DO ADVERSÁRIO! E EU EXPLICO PORQUÊ: SIMPLESMENTE PORQUE SEM ESSES RECURSOS, MUITOS MISSIONÁRIOS(as), TERIAM QUE VOLTAR Á “BATER CARTÃO”, CONSEQÜENTEMENTE, TRABALHARIA MENOS HORAS NA OBRA, MENOS PESSOAS SERIA EVANGELIZADAS E DISCIPULADAS
    E CONSEQÜENTEMENTE, MAIS PESSOAS ESTARIAM SE DISTANCIANDO DE DEUS; E CREIO QUE UM DIA UM FILHO/FILHA SEU, SERÁ GANHO P/ CRISTO, ATRAVÉS DE UM MISSIONÁRIO DE TEMPO INTEGRAL, ISTO, QUE É PAGO COM O SEU DÍZIMO! QUE O NOSSO SENHOR JESUS CRISTO DE NAZARÉ, NOS DÊ MAIS DISCERNIMENTO NESTA QUESTÃO…

    REV. OSMÁRIO DE ANDRADE
    Capelão Teólogo=Mestrando em Ciência da Religião

  47. wolkuer twist disse:

    gostaria de saber uma coisa como caio fabio enriqueceu??

  48. agnaldo pereira dias disse:

    na quele grande dia eles vão pagar pois eu tenho certesa que em apocalispe deus dar a resposta desse canalha amém.

  49. LIGIA disse:

    OLA ….DE TUDO QUE LI ….O QUE TEMOS DE GUARDAR PARA A NOSSA VIDA É O QUE JESUS CRISTO VEIO NOS ENSINAR E REVOGAR….ELE VEIO NOS ENSINAR A LEI DO AMOR E DA CARIDADE E REVOGAR A LEI DO DENTE POR DENTE E OLHO POR OLHO…NADA PODE SER COMPRADO TUDO É CONQUISTADO PELA FÉ E PELO AMOR, AQUELES QUE IMPOE PREÇO AS GRAÇAS RECEBIDAS ESTAO EQUIVOCADOS …JESUS CRISTO NUNCA COBROU NADA DE NINGUEM (DINHEIRO) SOMENTE QUE A PESSOAS TIVESSE FÉ E AMOR PARA COM DEUS, COM A PRÓPRIA PESSOA COMO AOS OUTROS SOMENTE ISSO…QUE TODOS PROCURASSEM EVITAR DE PECAR COM PENSAMENTOS, ATITUDES E PALAVRAS….JESUS CRISTO SO QUER QUE TENHAMOS COMPAIXÃO DOS NOSSOS SEMELHANTES MENOS AFORTUNADOS…PARA ISSO QUE SERIA DESTINADO O DIZIMO SE HOUVESSE RAZAO DE EXISTIR MAS O QUE EU VEJO É ESSE DINHEIRO SER USADO PARA TUDO MENOS PARA COM OS QUE NECESSITAM, MUITAS VEZES É COBRADO DIZIMO DESSES QUE NEM TEM…OS HOMENS INFELIZMENTE TEM O COSTUME DE REVERTER TUDO A SEU FAVOR, INTERPRETAR AS ESCRITURAS DE FORMA A POR MEDO NOS FIEIS AONDE VAMOS PARAR COM ISSO ? SERA QUE NAO PENSAM QUE ESTAO LESANDO PESSOAS? DINHEIRO É PARA SER USADO COM CUIDADO AINDA MAIS SE NÃO É SEU, É DADO POR OUTROS COM UMA FINALIDADE QUE MUITAS VEZES É DETURPADA E REALMENTE ROUBADA….MAS LEMBREM-SE TUDO SERA COBRADO DEUS ESTA ATENTO A TUDO MESMO….EU NUNCA DIZIMEI E NUNCA O FAREI MAS LENDO SOBRE AS OFERTAS ESSAS CONTINUAREI A DAR, AINDA MAIS QUE O PASTOR DISSE QUE SE COMPRAR COM O DINHEIRO DO DIZIMO TUDO EM CESTAS BASICAS NAO TERIA VALOR…POR AI JA VI QUE HAVIA MA INTENÇÃO…FAREI ISSO COMPRAREI CESTAS BASICAS, VISITAREI LUGARES QUE HA NECESSIDADE DE UMA PALAVRA AMIGA…MAS PASTOR VIVENDO NO BEM BOM COM O MEU DINHEIRO NAO….TEMOS QUE AJUDAR A QUEM TEM FOME, FRIO, SOLIDAO, TRISTEZA, QUE SENTE FALTA DE UM SORRISO ETC….ESTUDIOSOS ADMIRO A TODOS QUE NOS TRAZEM A LUZ DO CONHECIMENTO MAS PRECISAM TB COLOCAR EM PRATICA TUDO AQUILO QUE VCS APRENDEM SE NAO VIRA UMA FÉ MORTA, ESTAGNADA…JESUS QUER ISSO FE INABALAVEL E VIVA SENDO APLICADA DIARIAMENTE POR TODOS. FIQUEM NA PAZ E NA PLENITUDE DO AMOR DE DEUS E DE JESUS CRISTO…..

  50. LIGIA disse:

    SOMENTE UMA COISA QUANDO JESUS DISSE DAI A CESAR O QUE É DE CESAR E DAI A DEUS O QUE DE DEUS DEIXOU CLARO QUE PARA CESAR ERA OS BENS MATERIAIS, DINHEIRO, FORTUNA E PARA DEUS AS COISAS ESPIRITUAIS PRECISA DEIZER MAIS ALGUMA COISA?

  51. edson silva disse:

    Irmãos: Em l Corintios 2_14, diz: “O homem natural não compreende as coisas de do Espírito de DEUS, porque lhe parecem loucura; e não podem entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”
    É verdade que existem muita gente que usa esses recursos indevidamente, mas eu mesmo, já vi na televisão muitas mensagens que eu nem sequer tinha ainda lido na Bíblia, ora quantas pessoas nesse mundo não foram despertados por uma palavra através da televisão, do rádio, e essas coisas tem um custo, e sabemos que não é barato. Bem, eeses recursos, vem de dízimos, se a gente for dar ouvidos aos absurdos que ouvimos por aí, a gente abandona até a palavra do Senhor; ora vamos continuar dizimando, como se fizéssemos a DEUS, NÃO AOS HOMENS. Ademais, o Senhor Jesus Cristo falou sim dos dizimos, e não só falou, como disse que devemos, mas é difícil de perceber, (Mat 23_23) veja:
    “Ai de vós, escribas e fariseus, que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juizo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer “ESSAS COISAS” e não omitir “AQUELAS” ( Essas coisas, dizimar a hortelã, o endro, o cominho) e (aquelas, não desprezar o juízo, a misericórdia e a fé). Porque o Senhor Jesus diz que O JUIZO, A MISERICÓRDIA E A FÉ, são mais importantes, ou seja o seu dinheiro é importante, mas se você não der antes o seu coração, NADA ADIANTA.

  52. Regino disse:

    se hoje fosse feito um decreto proibindo a cobrança dos dizimos e o salarios dos falsos pastores,,,aconteceria que 99% das igrejas fechariam e os pastores iriam trabalhar e deixar de comer o suor dos outros..

  53. leonardo disse:

    O que os lideres das igreja deveria ensinar sobre o dízimo, mas faz questão de esconder?
    que O dizimar não é uma doutrina cristã
    Um ensaio por Russell Earl Kelly, Ph.D. Doutorado em teologia.
    Pastor da igreja batista. Estados unidos das Américas.

    INTRODUÇÃO:

    O seguinte estudo é apenas um resumo do livro, do Doutor Russel Kely “Tem a Igreja o direito de cobrar o Dizimo?” As conclusões de um teólogo no tocante a uma doutrina tabu. O livro em si é uma versão maior de minha tese de doutorado e cátedra Ph.D. desafio aos educadores bíblicos a serem honestos, que abram seus níveis de investigação em seus seminários e promovam estudos sobre este tema nos níveis de magistério, doutorado e catedrático. Esta doutrina falsa e exploradora, é demasiado importante para passá-la por verdadeira. Sendo uma mentira conveniente,

    Em todas as igrejas de hoje a falsa doutrina do dízimo se converteu em todo um escândalo. Por um lado, a maioria dos livros de texto a nível de seminário referentes à teologia sistêmica e a hermenêutica escritos por eruditos de muita preparação omitem o tema do dízimo, e por outro lado, a prática rapidamente está a se converter num requisito para ser membro nas mesmas denominações que dizem fazer questão de doutrinas fundamentadas na Bíblia, neste caso, existe uma demagogia clara, Também há mais e mais provas de que leigos que questionam a legitimidade de dizimar sob o Novo testamento, são criticados e desprezados como polemistas ou cristãos fracos. Líderes cristãos sinceros sempre devem estar dispostos a um diálogo aberto em torno da Palavra de Deus. A recusa em tratar o assunto so mostram que enganam o povo do senhor, intencionalmente de ma fé…

    O Dízimo Moderno Fundamenta-se Sobre Muitas Falsas Premissas

    O que ensinam todas as denominações que cobram dízimo se resume na declaração de certa denominação quanto à mordomia. Diz que “o dízimo é a mínima norma bíblica e que o ponto de partida estabelecido por Deus não deve ser substituído ou comprometido por nenhuma outra norma.” Acrescenta que o dízimo é do ganho líquido pago à igreja antes que se calcule o imposto público sobre o ganho.

    Os seguintes itens neste estudo delineiam um contraste entre os falsos ensinos que se utilizam para apoiar o dízimo com o que a Palavra de Deus diz verdadeiramente.

    Item #1: Os Princípios da doação voluntaria em 2ª coríntios 8 e 9 não Têm nada a Ver Com o Dízimo. No novo testamento não se cobrava nenhuma espécie de taxa fixa,(Dizimo) mas so voluntario. Com respeito à igreja, claro…

    O falso ensino é que o dízimo é uma expectativa divina obrigatória a qual sempre precede a oferta de livre vontade.

    A oferta de livre vontade existia dantes do dízimo. Os seguintes princípios do Novo Pacto no tocante à doação de livre vontade encontram-se em 2 Coríntios, capítulos 8 e 9:

    (1) A oferta é uma “graça.” Estes capítulos usam a palavra grega para “graça” oito vezes em torno da ajuda para os santos pobres.
    (2) Primeiro há que fazer a dádiva de um mesmo a Deus (8:5).
    (3) Há que se dar a conhecer a vontade de Deus (8:5).
    (4) Há que dar em resposta ao dom de Deus (8:9).
    (5) Há que dar por razão de um desejo sincero (8:8, 10, 12; 9:7).
    (6) Não há que dar porque o manda algum mandamento (8:8, 10; 9:7).
    (7) Há que dar mais do que se possa para ajudar aos pobres (8:3, 11, 12).
    (8) Há que dar para produzir igualdade. Isto quer dizer que os que têm mais devem dar mais a fim de suprir a incapacidade dos que não podem dar tanto (8:12-14).
    (9) Dar com gozo (8:2).
    (10) Há que dar pelo desejo de crescer mais espiritualmente (9:8, 10, 11).
    (11) Há que se dar porque se está a escutar a pregação do evangelho (9:13).

    Item # 2: Na Palavra de Deus o Dízimo Sempre foi em Alimento! No período que ele foi exigido, hoje nem isso é.

    O falso ensino é que os dízimos bíblicos incluia TODO tipo de ganho.

    Utilize a Palavra de Deus para definir o que é “o dízimo.” Não utilize um dicionário secular! Abra uma concordância bíblica completa e descobrirá que a definição que usam os promotores do dízimo está equivocada. Na Palavra de Deus o “dízimo” não aparece por si só de forma alguma. mesmo que já o dinheiro existisse antes do dízimo, a forma original do dízimo de Deus nunca foi em dinheiro. Era o “dízimo de alimento.” Isto é muito importante: O verdadeiro dízimo bíblico sempre foi somente em forma de alimento da terra e das manadas somente dos israelitas, quem viviam somente dentro da Terra Santa de Deus, dentro da fronteira nacional de Israel. O aumento recolhia-se do que Deus tinha produzido e não pela habilidade ou perícia humana.

    Há 15 versículos tomados de 11 capítulos e 8 livros, desde Levítico 27 até Lucas 11, que descrevem o conteúdo do dízimo. E o conteúdo jamais (reafirmo), jamais incluiu dinheiro, prata, ouro ou qualquer outra coisa que não fosse alimentos tomados dentro de Israel! No entanto, a definição equivocada do “dízimo” é a que se segue pregando como o maior erro tocante ao dízimo hoje! (Veja-se Lev. 27:30, 32; Núm. 18:27, 28; Deut. 12:17; 14:22, 23; 26:12; 2ª Crô. 31:5, 6; Nee. 10:37; 13:5; Mal. 3:10; Mat. 23:23; Luc. 11: 42).

    Item #3: O Dinheiro Era um valor muito utilizado, porem Não Dizimado, nem aceito por Deus, como dizimo.

    A falsa premissa é que o escambo de alimentos geralmente substituía o dinheiro.

    Um argumento a favor de dizimar com bens não alimentícios é que o dinheiro não era universalmente disponível e para a maioria dos intercâmbios se usava a escambo de alimentos. Este argumento não é bíblico. Gênesis, por si só, utiliza a palavra “dinheiro” em 32 textos e a palavra ocorre 44 vezes antes que se mencione o dízimo pela primeira vez em Levítico 27. A palavra shekel também aparece com freqüência desde o Gênesis até Deuteronômio.

    De fato, séculos antes que Israel entrasse em Canaã e começasse a dizimar os alimentos da terra santa de Deus, o dinheiro era um bem indispensável diariamente. Por exemplo, havia dinheiro em forma de shekels para o pagamento por escravos (Gên. 17:12+); terra (Gên 23:9+); liberdade (Êxo. 23:11); multas judiciais (Êxo. 21; 22); resgates do santuário (Êxo. 30:12+); votos (Lev. 27:3-7); impostos do censo (Núm. 3:47+), bebidas alcoólicas (Deut. 14:26) e dote matrimonial (Deut. 22:29).

    De acordo com Gênesis 47:15-17 o alimento se usava em escambo somente depois que se tinha esgotado o dinheiro. A palavra de Deus em Levítico define leis bancárias e de usura ainda antes do dízimo. Portanto, o argumento de que o dinheiro não prevalecia o suficiente para o uso diário é falso. No entanto, o dízimo, em si, nunca incluía dinheiro em efetivo de bens não alimentícios, como outros produtos e negócios.

    Item #4: O Dízimo de Abraão a Melquisedeque Manifestava Uma Tradição Pagã. Prova histórica para comprovar segue a baixo.
    A historia dos dízimos
    Havia muitos costumes praticados pelos povos da antiguidade, povos este que habitavam a regiao da mesopotâmia, como por exemplo: o levirato, acircuncisao, a libaçao, e a pratica do dizimo. com o dízimo não era diferente! Já falamos no início dessa matéria, que Abraão não deu algo desconhecido a Melquisedeque. Muitos povos antigos, como gregos e chineses, viviam conviventes com a prática do dízimo. Na grécia por exemplo, vemos os dízimos incluídos nos escritos de Heródoto. Esse homem, conhecido como o pai da história, foi um historiador grego que viveu de 484 aC até 420 aC. Em seus escritos, Heródoto narrou acontecimentos envolvendo povos como gregos, egípcios, fenícios entre muitos outros. Os dízimos citados por Heródoto, era muito semelhante ao de Abraão, visto que se tratava de despojos de guerra. Logo abaixo estão 2 trechos dos escritos desse historiador:
    Heródoto 1.89- “…exijam de tuas tropas os despojos, sob o pretexto de que é preciso consagrar a décima parte a Júpiter.”
    Heródoto 9-80 Calíope- “A décima parte desses despojos foi destinada aos deuses…Separada a décima parte dos despojos, foi o resto distribuído aos guerreiros, a cada um segundo o seu merecimento… A Pausânias coube também uma décima parte dos despojos, incluindo mulheres, cavalos, dinheiro (talentos), camelos e várias outras preciosidades.”
    Fenícios e cartagineses também tinham a prática de dizimar. Na antiga Grécia, mercadores, davam os dízimos de seus lucros a Hércules (imagem ao lado). Hércules era um deus da mitologia grega, suposto filho de Zeus e da humana Alcmena. Persas e babilónios também davam dízimos. Fenícios do século 14 a.C, também dizimavam, pois em Ungarit na Felícia foi achado relatos dessa prática. Na Mesopotâmia no período sumério, dizimistas davam dízimos nos templos. Egípcios e romanos também davam dízimos. Os dízimos dos egípcios, não tem a ver com a quinta parte exigida em Gênesis 47.24: “Das colheitas dareis o quinto a Faraó, e as quatro partes serão vossas, para semente do campo, e para o vosso mantimento e dos que estão em vossas casas, e para que comam as vossas crianças.”.
    A estela famine (estela da fome), é um monumento egípcio em pedra, datada de 380 a.C. (foto ao lado). Composta de 32 colunas gravadas, nela está registrado o dízimo sendo cobrado na cidade portuária de Naukratis. Dois dos textos escritos revelam o seguinte:
    “Todos os pescadores, os caçadores, que capturam pássaros, peixes e armadilhas e todos os tipos de jogo, e todos os que Iions armadilha no deserto, eu lhes exata de um décimo do exame de todos estes, e todos os animais jovens nascidos do fêmeas nestas milhas [em sua totalidade].
    “Um dará os animais marcados para todos os holocaustos e sacrifícios diários, e um deles deve dar um décimo de ouro, marfim, ébano, madeira alfarrobeira, ocre… todos os tipos de madeira…”
    Evidências dos dízimos entre povos antigos são inquestionáveis. Quase em toda sua totalidade de relatos, sempre se tratando de alimentos e produções agrícolas, como é também em toda a bíblia sagrada.
    A bíblia nos mostra que Abraão deu o dízimo dos despojos: “Considerai, pois, como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos.” (Hebreus 7.4). Era uma prática usada por outros povos, que Abraão tomou para honrar o Deus verdadeiro. Geralmente, seria entregue a algum sacerdote em um templo, assim como as outras nações. Tudo que a bíblia explica, é que Melquisedeque, era sacerdote do Deus verdadeiro, como vemos em Gênesis 14.18: “Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; era sacerdote do Deus Altíssimo;”.
    Muitos pastores e lideres de igrejas, sem saberem nada a respeito do verdadeiro dízimo, usam da artimanha, de que Abraão teria sido tocado por Deus para dar o dízimo. A verdade, é que mesmo antes da lei, nossos patriarcas seguiam uma lei vigente na sua época. Posteriormente, muitas dessas leis tornara-se leis mosaicas. Uma coisa que temos mais certeza ainda, é que o dízimo imposto em Israel, nada tem a ver, com o que vemos nas igrejas cristãs, que a grande maioria das pessoas chamam de dízimo. A verdade do dízimo dado por Abraão, é que foi dado apenas uma vez na vida, e não dos bens que ele possuia, mas sim dos despojos da guerra. Interessante é que se você continuar lendo a passagem de Gênesis, em que narra esse fato, logo após Abraão dar o dízimo a Melquisedeque, o rei de Sodoma pede as pessoas capturadas por Abraão na guerra, e sabe o que Abraão faz? Abraão tira apenas a alimentação dos homens que foram com ele, e dá tudo para o rei se Sodoma, ou seja, 90% dos despojos foi para o rei de sodoma.(Gn 14.21-23…)

    O falso ensino é que Abraão dava livremente de seus dízimos porque era a vontade de Deus.

    Pelas seguintes razões não se pode usar a Gênesis 14:20 como um exemplo para que os cristãos dizimem:

    (1) A Bíblia não diz que Abraão deu “livremente” este dízimo.
    (2) A dádiva de Abraão NÃO foi um dízimo santo da terra santa de Deus recolhido pelo povo santo de Deus de acordo ao santo pactuo antigo de Deus.
    (3) O dízimo de Abraão foi somente do despojos da guerra e era de rigor em muitas nações, ele não foi o inventor do dizimo, mas era uma tradição idolatra.
    (4) Em Números 31, Deus somente exigiu 1% do despojos da guerra.
    (5) O dízimo de Abraão a Melquisedeque foi um evento que se registrou somente uma vez.
    (6) O dízimo de Abraão não foi de seus bens pessoais.
    (7) Abraão não guardou nada para si mesmo; ele devolveu tudo.
    (8) O dízimo de Abraão não se usa como exemplo em nenhum lugar da Bíblia em apoio do dízimo.
    (9) Gênesis 14, versículo 21 é o texto chave. Já que a maioria dos comentários bíblicos explica o versículo 21 como um exemplo de uma tradição árabe pagã, é uma contradição explicar 90% do versículo 21 como pagão, e ao mesmo tempo insistir que os 10% do versículo 20 era a vontade de Deus.
    (10) Se Abraão é um exemplo para que os cristãos lhe dêem 10% a Deus, então também deve ser exemplo aos cristãos para que lhe dêem os outros 90% a Satanás, ou ao rei de Sodoma!
    (11) Já que eles mesmos eram sacerdotes, nem Abraão nem Jacó tinham que manter um sacerdócio levítico; portanto provavelmente deixavam alimentos para os pobres em seus altares.

    Item #5: O Primeiro Dízimo Chegava às Mãos dos Servos dos Sacerdotes.

    O falso ensino é que os sacerdotes do Antigo Testamento recebiam tudo do primeiro dízimo. Mentira, quem recebia era os levitas.
    O povo não levavam nenhum dizimo para o templo, pra casa do tesouro, mas em suas cidades onde plantavam e colhiam é que eram entregue aos levitas que ali moravam. Pois os levitas receberam 48 cidades espalhadas em todas as tribos. Nm 35 v 1-8, Js 21 v 33-41. E era la nas cidades onde os levitas residiam que recolhiam os dízimos anualmente, um representante dos sacerdotes compareceria para pegar a parte que a eles era destinadas e levar à casa do tesouro. Nem 10 v 37-38b.
    O dízimo “inteiro”, o primeiro dízimo, de jeito nenhum chegava aos sacerdotes. De acordo com Números 18:21-24 e Neemias 10:37b, ia aos servos dos sacerdotes, os levitas. E de acordo com Números 18:25-28 e Neemias 10:38, os levitas davam o melhor “dízimo deste dízimo” (10%) do que recebiam aos sacerdotes que ministravam o holocausto pelo pecado e serviam nos lugares santos. Os sacerdotes não dizimavam.

    Também é importante se dar conta que, por causa do recebimento destes dízimos, tanto os levitas como os sacerdotes renunciavam a todo direito de receber terras por herança dentro de Israel (Núm. 18:20-26; Deut. 12:12; 14:27, 29; 18:1, 2; Jos. 13:14, 33; 14:3; 18:7; Eze. 44:28). Ainda, se no novo testamento existissem os dízimos semelhante ao velho testamento primeiramente iriam aos diáconos que representam melhor (levitas) entao eles entregariam 10% o dizimo dos dizimos aos pastores e para a manutenção dos edifícios. Mas não existe este mandamento hoje.

    Item #6: “Será Santo ao Senhor” Não Designa ao Dízimo Como Uma Norma Moral Eterna.

    O falso ensino é que Levítico 27:30-33 comprova que o dízimo é uma “norma moral eterna” porque “é santo ao Senhor.”

    As frases “será santo ao Senhor” e “será santíssimo ao Senhor” são de uso comum em Levítico. No entanto, o uso destas mesmas duas frases em Levítico foi descartado pelos cristãos desde há muito tempo. Estas frases se usavam para descrever todos os dias de festas, as oferendas dos holocaustos, os alimentos limpos, os sacerdotes do pacto antigo e o santuário do pacto antigo. Se a frase “santo ao senhor” torna o Dizimo valido para hoje, as demais coisas precedidas da mesma frase, também o será. Leiam-se particularmente os versículos 28 e 29 do mesmo capítulo. Pegar a questão dos dízimos e recusar os outros é uma hipocrisia grosseira.

    Ainda que o “dízimo do dízimo” (10%) que era entregue aos sacerdotes era o “melhor” do que recebiam os levitas, o dízimo que recebiam os levitas era somente “uma décima parte” e não era do “melhor” (Lev. 27:32,33).

    Item #7: As Primícias Não São o Mesmo Que os Dízimos

    A falsa premissa é que os dízimos são o mesmo que as primícias.

    As primícias eram uma quantidade muito pequena da primeira colheita e o primogênito era o primeiro nascido dos animais. As primícias eram tão pequenas que cabiam dentro de um canastro de mão (Deut. 26:1-4, 10; Lev. 23:17; Núm. 18:13-17; 2º Crô. 31:5a).

    As primícias e a oferta do primogênito iam diretamente ao templo para o consumo único dos sacerdotes que tinham a obrigação de consumi-las em sua totalidade dentro do templo (Nee. 10:35-37a; Ex. 23:19; 34:26; Deut. 18:4).

    Todo o dízimo levítico ia primeiro às cidades dos levitas, não iam para o templo ou tenda, e certas porções iam ao templo para alimentar tanto aos levitas como aos sacerdotes que ministravam ali por turno (Nee. 10:37b-39; 12:27-29, 44-47; Núm. 18:21-28; 2º Crô. 31:5b). Ainda que os levitas alimentavam-se com o dízimo, os sacerdotes podiam comer também das primícias, das oferendas do primogênito e outras oferendas. Os levitas tinham as funções de: porteiros, guardas, cantores, servidores do templo, tesoureiros, escrivão, entre outras. Ne 10 v39. Ed 2v70 1° Cr v20 e 29. E se eram eles que recebiam os dízimos, quem melhor os representariam hoje? Não seriam os diáconos por direito? Mas não há este mandamento para a igreja de cristo.

    Item #8: A Bíblia Descreve Quatro Diferentes Tipos de Dízimos. Mas as instituições por conveniência so adotaram parte de um, o religioso e que vai para o bolso dos seus lideres.

    A falsa doutrina ignora todos os outros dízimos e enfoca-se numa interpretação errônea do primeiro dízimo religioso. hipocrisia conveniente não é?

    O primeiro dízimo religioso, chamado o “dízimo levítico” tinha duas partes. Novamente, o primeiro dízimo, por inteiro, entregava-se aos levitas que eram somente os servos dos sacerdotes (Núm. 18:21-24; Nee. 10:37). Os levitas, por sua vez, davam uma décima parte de todo o dízimo aos sacerdotes (Núm. 18:25-28; Nee. 10:38). De acordo com Deuteronômio 12 e 14, o segundo dízimo religioso, chamado o “dízimo da festa,” era consumido pelos adoradores nas ruas de Jerusalém durante os três festivais anuais (Deut. 12:1-19; 14:22-26). E de acordo com Deuteronômio 14 e 26, um terceiro dízimo, chamado o “dízimo para os pobres”, guardava-se nos lares em cada terceiro ano para alimentar aos pobres (Deut. 14:28,29; 26:12,13). Mas os cobradores de dízimos nem de longe fazem referencia a este não é? Um Quarto. Ademais, de acordo com 1º Samuel 8:14-17, o governante recolhia o primeiro e o melhor dez por cento para o uso político. Durante o tempo de Jesus Roma recolhia o primeiro dez por cento (10%) de quase todo o alimento e o vinte por cento (20%) do fruto das colheitas como seus despojos de vencedor. Alguém pode perguntar-se que vem a ser o que as igrejas estão a tratar de esconder quando escolhem o dízimo religioso que mais lhes convém para seus fins e descartam os outros dois dízimos religiosos importantes.

    Item #9: Jesus, Pedro, Paulo e os Pobres Não Dizimavam! E nenhum outro cristão também não.
    O falso ensino é que todo mundo no Antigo Testamento tinha a obrigação de dar a Deus os dízimos, mentira!!!…

    Os pobres não tinham obrigação alguma de dizimar!hoje Nem pobres nem ricos tem este mandamento. Nenhum dos apóstolos o ensinaram.
    nem ninguém é obrigado por mandamento bíblico a dizimar hoje. e também não se dizimava dos resultados da mão de obra do trabalhador, artesão ou por habilidade alguma. Somente os agricultores e pecuaristas recolhiam o dízimo do que Deus produzia em aumento. Jesus era um carpinteiro; Paulo era um fabricante de tendas e Pedro era um pescador. Nenhum destes labores os qualificava para dizimar porque não cultivavam a terra nem cuidavam do gado para subsistir. Portanto, é incorreto ensinar que todos pagavam rigorosamente ao menos o dízimo e, todavia, que no Novo Pacto os cristãos têm a obrigação de, ao menos, começar com o mínimo do que davam os israelitas no Pacto Antigo. Esta falsa doutrina se repete muito com freqüência e desconhece por completo a definição tão clara do dízimo como alimento recolhido dos produtos do aumento da semeadura ou do aumento do gado.

    Também é um erro ensinar que os pobres de Israel tinham a obrigação de pagar o dízimo. De fato, eles mesmos recebiam o dízimo! Uma grande parte do dízimo da segunda festa e todo o dízimo especial do terceiro ano era para os pobres!e hoje? Cadê os dízimos para os pobres?
    Tinha muitas leis que protegiam aos pobres de abuso e de sacrifícios custosos que não podiam custear (veja-se também Lev. 14:21; 25:6, 25-28, 35, 36; 27:8; Deu. 12:1-19; 14:23, 28, 29; 15:7, 8, 11; 24:12, 14, 15, 19, 20; 26:11-13; Mal. 3:5; Mat. 12:1, 2; Marcos 2:23, 24; Lucas 2:22-24; 6:1, 2; 2ª Cor. 8:12-14; 1 Tim. 5:8; Tiago 1:27).hoje são os pobres que são mais explorados. Os trabalhadores que ganham um salário mínimo, e tem que sustentar a família e pagar água luz as vezes aluguel e ainda tem que pagar para ser crente, e ser considerado fiel, e não ser chamado de ladrão, também as viúvas e aposentados. E nenhuma ajuda recebem destas instituições “filantropicas” entidades capitalistas que tiram dos pobres em nome de Deus, para enriquecer mais os seus ricos, milionários “pastores” lideres. Seriam estes os gananciosos que Pedro se referiu? 2°Pd 2v3, que fariam dos crentes do senhor um comércio. Serão estes também mercenários Jo 10 v 12. O que é um mercenário?…falando em mercenários, me lembrei também dos astros pregadores e cantores, que de congresso em congresso, de igreja em igreja estão enchendo suas contas bancarias com o dinheiro dos pobres fiéis. Ai eu me lembro de Miq 3 v 11. ( os teus chefes dão as sentenças por suborno, os seus sacerdotes ensinam por interesse, e os seus “profetas” (pregadores e cantores) profetizam por dinheiro.e ainda se apóiam no senhor! Dizendo: o senhor esta conosco.

    Item #10: Com Freqüência o Dízimo Usava-se Como Um Imposto Político.

    O falso ensino é que os dízimos nunca se podem comparar aos impostos ou à taxação.

    Na economia hebraica, o dízimo se usava de uma maneira totalmente diferente do que se prega hoje. Outra vez, os levitas que recebiam todo o dízimo nem sequer eram ministros ou sacerdotes – eram somente os servos dos sacerdotes! Números, capítulo 3 descreve os levitas como carpinteiros, operários em metalúrgica, curtidores e artesãos que cuidavam da manutenção do pequeno santuário. E de acordo com 1º das Crônicas, capítulos 23-26, durante o tempo do rei Davi e do rei Salomão os levitas ainda eram exímios artesãos encarregados da inspeção para dar o visto bom a toda a obra do templo: 24.000 trabalhavam no templo como operários e capatazes; 6.000 eram oficiais e juízes; 4.000 eram guardas e 4.000 eram músicos. Como representantes oficiais do rei, os levitas usavam seus rendimentos do dízimo para cumprir como oficiais, juízes, cobradores de impostos, tesoureiros, guardas do templo, músicos, padeiros, cantores e soldados profissionais (1º Crô. 12:23, 26; 23:2-5; 26:29-32; 27:5). A razão pela qual estas formas do uso dos rendimentos do dízimo não se usam como exemplos hoje para a igreja é óbvia.

    Também é importante saber que os dízimos do Pacto Antigo jamais foram usados para a evangelização dos que não eram israelitas. Pois não tinham este objetivo! Veja-se Hebreus 7:12-19. Os dízimos jamais foram recursos para que os levitas ou sacerdotes do Pacto Antigo estabelecessem missão alguma ou movessem a um gentil que fosse a se converter em israelense (Êxo. 23:32; 34:12, 15; Deut. 7:2). O dízimo do Antigo Pacto foi motivado e dado por mandato da lei, e não pelo amor. De fato, durante a maior parte da história de Israel os oráculos de Deus foram os profetas – e não os levitas e sacerdotes que viviam do dízimo.

    Item #11: Os Dízimos Levíticos em Geral Eram Levados às Cidades dos Levitas.

    Falsos mestres querem que pensemos que, tal qual no Antigo Testamento, os dízimos que se levavam ao templo agora devem ser levados para os edifícios da igreja”. E encaminhados aos bolsos dos pastores de pequenas congregações e matrizes das mesmas, como altos salários e outras regalias caras.

    O dízimo “inteiro” NUNCA se levava ao templo! Em realidade, a grande parte dos dízimos levíticos jamais chegava ao templo! Os que ensinam outra coisa ignoram as 48 cidades levíticas e as 24 classes dos levitas e sacerdotes. De acordo com Números 35, Josué 20, 21 e 1º das Crônicas 6, os levitas e sacerdotes viviam em terra emprestada como Jericó e Hebrom que rodeavam as cidades levíticas onde eles lavravam as terras e criavam gado (dizimado). Também é claro, a partir de 2º das Crônicas 31:15-19 e Neemias 10:37, que as pessoas do povo tinham que levar seus dízimos às cidades levíticas. Por quê? Porque ali é onde vivia os 98% dos levitas e sacerdotes com suas famílias a maior parte do tempo. Veja-se também a Josué 20, 21; Núm. 35; 1º das Crônicas 6:48-80; 2º Crônicas 11:13-14; Nee. 12:27-29; 13:10 e Mal. 1:14 para as cidades levíticas.

    Item #12: O Texto do Dízimo Que É Mais Abusado propositalmente é Malaquias 3v10.

    O falso ensino dos dízimos a partir de Malaquias 3 ignora cinco fatos bíblicos importantes: Malaquias cap. 1 v 1, deixa claro que sua mensagem se dirigia ao povo Judeu. E nem sequer a igreja de cristo existia ainda.

    (1) Malaquias está no contexto do Pacto Antigo e jamais se cita no Novo Pacto para abonar o dízimo (Lev. 27:34; Nee. 10:28, 29; Mal. 3:7; 4:4).
    (2) Em 1:6; 2:1 e 3:1-5 Malaquias claramente dirige-se aos sacerdotes que não têm honradez senão estão sob maldição devido a que tinham roubado as melhores ofertas de Deus.
    (3) Deve-se considerar que os levitas não residiam em Jerusalém onde estava o templo, no entanto o dizimo não ia para o templo, mas para as suas cidades. os
    Levitas viviam em suas cidades e Jerusalém não era uma cidade levítica (Josué 20, 21). O ensino de que os 100% do dízimo eram trazidos ao templo não faz sentido porque a maioria dos levitas e sacerdotes não vivia em Jerusalém. E os dízimos eram para os levitas.
    (4) Em Mal. 3:10-11 os dízimos ainda têm a forma de alimentos (Lev. 27:30-35).
    (5) As 24 classes de levitas e sacerdotes também devem ser levadas em conta. Começando com o rei Davi e Salomão, dividiam-se em 24 famílias. Estas divisões seguiam vigentes durante o tempo de Malaquias segundo o requerido por Esdras e Neemias. Já que só uma família servia no templo por só numa semana ao mesmo tempo, não tinha razão alguma para enviar TODO o dízimo ao templo quando o 98% tinha como finalidade a alimentação dos que ficavam nas cidades levíticas (para as classes se veja 1º das Crôn. capítulos 23-26; 28:13, 21; 2 Crô. 8:14; 23:8; 31:2, 15-19; 35:4, 5, 10; Esdras 6:18; Nee. 11:19, 30; 12:24; 13:9, 10; Lucas 1:5).

    Portanto, ao analisar o contexto das cidades levíticas, as 24 famílias de sacerdotes, os meninos menores de idade, as esposas, Números 18:20-28, 2º das Crônicas 31:15-19, Neemias 10-13, e todo Malaquias, somente como 2% do dízimo normalmente se requeria no templo de Jerusalém. À casa do tesouro, que serviam par alimentar tanto os sacerdotes que ministravam por seu turno, como também aos levitas porteiros guardas cantores, e de demais função. Daí a famosa frase: para que haja mantimento na minha casa..\

    Tanto a bênção como a maldição de Malaquias 3:9-11 esteve em vigência até que o Pacto Antigo caducou na cruz.e não diz respeito à igreja. Os que escutaram a Malaquias por vontade própria reafirmaram o Pacto Antigo (Nee. 10:28,29). “Maldito o que não confirme as palavras desta lei, pondo-as por obra.” E todo o povo dirá: “Amém.” (Deu. 27:26 citado em Gál. 3:10). Mas Jesus pôs fim à maldição. “Cristo isentou-nos da maldição da lei, feito por nós maldição; (porque está escrito: Maldito qualquer que é pendurado em madeiro)” (Gál. 3:13).

    Hoje as pessoas com rendimentos mais baixos são os que pagam o dizimo em maior quantidade às instituições captalistas( Ministérios) agências rentáveis, as quais tem levados seus lideres adquirirem muita riqueza pessoal. No entanto a maioria dos dizimistas segue na pobreza. pagar o dízimo não é a resposta mágica que substitui a educação, determinação e o árduo trabalho. Se Malaquias 3:10 deveras funcionasse para os cristãos do Novo Pacto, então os milhões de cristãos pobres que pagam o dízimo talvez já tivessem escapado da pobreza e já seria o grupo mais endinheirado do mundo, em vez de seguir entre o grupo mais pobre. Fora claro os que recebem o dizimo, e com este vivem uma vida regalada recebendo altos salários, que chegam a ser maior que o salário do presidente da republica brasileira,e adquirem muito patrimônio pessoal, Não há prova alguma que a maioria das pessoas pobres que “pagam o dízimo” recebe bênção financeira resultado de pagar o dízimo. As bênçãos do Pacto Antigo não são as bênçãos do Novo Pacto (Heb. 7:18, 19; 8:6-8, 13).

    Item #13: O Novo Testamento Não Ensina o Dízimo. Por isso os defensores da falsa doutrina não usa nenhuma das cartas dos apóstolos, já observaram?…

    A falsa doutrina é que Jesus ensinou o dízimo em Mateus 23:23, o qual segundo dizem eles, é evidente no Novo Testamento.

    O Novo Pacto não começou quando Jesus nasceu, senão quando Ele morreu (Gál. 3:19, 24, 25; 4:4, 5). O dízimo não é ensino para a igreja após a cruz! Quando Jesus falou do dízimo em Mateus 23:23, o “vocês” se referia à obediência judaica à lei do Pacto Antigo o qual o apoiou e endossou até a cruz (veja-se “da lei” em 23:23). Em Mateus 23:v2 (o contexto de 23:23) Jesus disse a seus seguidores judeus que obedecessem aos escribas e fariseus “porque se sentam na cadeira de Moisés”. No entanto, ele não mandou que os gentios que ele curou se apresentassem aos sacerdotes e que obedecessem à lei de Moisés (compare-se com M\at. 5:23, 24 e 8.4). E as igrejas de hoje não arrecadam dízimos das ervas das hortaliças tal como Jesus ordenasse.

    Após a cruz não há nem um texto bíblico que seja, no Novo Testamento, que ensina o dízimo – Ponto! Atos 2:42-47 e 4:32-35 não dão o exemplo do dízimo para o sustento dos líderes da igreja. De acordo com Atos 2:46 os cristãos judeus seguiam adorando no templo. E de acordo a 2:44 e 4:33,34 os dirigentes da igreja compartilhavam por igual com os fiéis do que recebiam (o que não se faz hoje). Finalmente Atos 21:20-25 comprova que os cristãos judeus seguiam observando zelosamente a lei mosaica 30 anos depois – e isso deve ter incluído o dízimo. De outra maneira não os teriam permitido entrar ao templo para adorar. Portanto, qualquer dízimo recolhido pelos primeiros cristãos judeus chegava ao templo e não ia para o apoio da igreja.

    Item #14: O Sacerdócio Limitado do Antigo Pacto Foi Substituído Pelo Sacerdócio de Todos os Crentes.

    O falso ensino é que os bispos e pastores do Novo Testamento seguem a mesma linha do sacerdócio do Velho Testamento, merecendo o dízimo. Mentira! No novo testamento, todos os cristãos são sacerdotes.

    Compare-se Êxodo 19:5,6 com 1ª Pedro 2:9,10. Antes do incidente do bezerro de ouro, a intenção de Deus tinha sido que cada israelita fosse um sacerdote de tal modo que o dízimo jamais se tivesse estabelecido. Os sacerdotes não dizimavam, mas recebiam uma décima parte do primeiro dízimo (Núm. 18:26-28; Nee. 10:37,38).

    A função e o propósito do sacerdócio do Pacto Antigo foram substituídos, não pelos bispos e pastores, senão pelo sacerdócio de todos os crentes. Igualmente a todos os regulamentos da lei, o dízimo era tão só uma sombra provisória até que chegasse Cristo (Efé. 2:14-16; Col. 2:13-17; Heb. 10:1). No Novo Pacto cada crente é feito um sacerdote para com Deus (1 Ped. 2:9, 10; Apo. 1:6; 5:10). E como sacerdote, cada crente oferece sacrifícios a Deus (Heb. 4:16; 10:19-22; 13:15, 16). Portanto, cada ordem que previamente sustentava relação com o antigo sacerdócio foi apagada na cruz. Já que Jesus também não era da tribo de Levi, até ele mesmo não qualificou. Assim, o propósito original do dízimo já não existe (Heb. 7:12-19; Gal. 3:19, 24, 25; 2ª Cor. 3:10-18).

    Item #15: A Igreja do Novo Pacto Nem é Um Edifício Nem é Um Armazém.

    O falso ensino é que no cristianismo os edifícios chamados “igrejas”, “tabernáculos” ou “templos” substituem o templo do Antigo Testamento como a morada de Deus. Mentira!!…

    A palavra de Deus jamais designa às igrejas do Novo Pacto como “tabernáculos”, “templos” ou “edifícios” nos quais mora Deus! A igreja de Deus, a morada de Deus, está dentro dos crentes. Os crentes “não vão à igreja” – senão que os crentes se “congregam para adorar”. Ademais, já que os sacerdotes do Antigo Testamento não pagavam o dízimo, então não é lógico seguir com essa prática. Portanto, é um erro chamar a um edifício “o armazém de Deus” para os dízimos. (1ª Cor. 3:16, 17; 6:19, 20; Efé. 1:22, 23; 2:21; 4:12-16; Apo. 3:12). Para “o armazém” ou “minha casa” compare-se 1ª Coríntios 16:2 com 2ª Coríntios 12:14 e Atos 20:17, 32-35. Durante vários séculos, após o calvário, os cristãos nem tinham seus próprios edifícios (para chamá-los armazém) já que o cristianismo era uma religião proibida.

    Item #16: A Igreja Cresce à Medida Que Exerce os Princípios do Novo Pacto.

    O falso ensino implica que os princípios da graça não são tão bons como os princípios da lei no antigo testamento.

    No Novo Pacto:

    (1) De acordo com Gálatas 5:16-23, não há nenhuma lei física que controle o fruto do Espírito.
    (2) 2ª Coríntios 3:10 diz que o Pacto Antigo “não tem glória” quando se compara com a “superabundante” glória e liberdade do Espírito.
    (3) Hebreus 7 é a única menção do dízimo após o calvário e explica a razão pela qual o sacerdócio levítico deve ser substituído pelo sacerdócio de Cristo, porque o primeiro era débil e infrutuoso. Ao estudar Hebreus 7 nota-se uma progressão desde o versículo 5 ao versículo 12 e até ao 19.
    (4) A maneira como se ensina o dízimo hoje manifesta a falência da igreja em crer e atuar sobre os melhores princípios do amor, da graça e da fé. As normas de dar por obrigação não podem, não resultaram e não prosperarão à igreja mais que os princípios guiados pelo amor a Cristo e às almas perdidas (2 Cor. 8:7,8).

    Item #17: A Preferência do Apóstolo Paulo Foi Que os Líderes da Igreja Tivessem Sustento Próprio. Não é honroso trabalhar.
    Não é vergonhoso fazer da obra de Deus uma profiçao?

    O falso ensino é que Paulo ensinou e praticou o dízimo. Mentira descarada.

    Como rabino judeu,e mestre dos gentios, Paulo se contava entre os que persistiam em trabalhar para seu próprio sustento (Atos 18:3; 1ª Tes. 2:9, 10; 2ª Tes. 3:8-14). Ainda que Paulo não condene aos que podem receber todo o apoio, também não ensina que o apoio financeiro total é a vontade de Deus obrigatória para o avanço do evangelho (1ª Cor. 9:12). De fato, duas vezes, em Atos 20:29-35 como também em 2ª Coríntios 12:14, Paulo urge aos bispos da igreja que trabalhem para prestar apoio aos crentes necessitados da igreja.

    Para Paulo, “viver o evangelho” significava “viver pelos princípios do evangelho de fé, amor e graça” (1ª Cor. 9:14). Ainda que Paulo entendesse que ele tinha certo “direito” a algum apoio, ele concluiu que sua “liberdade” ou o sentir-se livre de pregar sem impedimentos era-lhe mais importante no cumprimento de seu apelo para com Deus (1ª Cor. 9:12, 15; 2ª Cor. 11:7-13; 12:13, 14; 1ª Tes. 2:5, 6). Enquanto trabalhava fabricando tendas, Paulo aceitou um apoio limitado, mas se jactava que seu pagamento ou salário era que ele podia pregar o evangelho voluntariamente, sem ser ônus para outros (1ª Cor. 9:16-19).

    Item #18: O Dízimo Não se tornou mandamento Para a Igreja Até 777 a.D. sendo a igreja católica romana mãe das heresias que o aplicou como mandamento, cristo não o aprova.

    1.2 – Do século VI à Revolução Francesa (1789)
    A praxe de contribuir para cobrir as necessidades da Igreja ia se difundindo no Ocidente. Havia, porém, exceções da parte dos contribuintes.
    Em vista disto, os Concílios foram intervindo nesse setor. O Sínodo Regional de Tours (Gália), em 567, promulgou, por exemplo, a seguinte determinação: “ Instantemente exortamos os fiéis a que, seguindo o exemplo de Abraão, não hesitem em dar a Deus a décima parte de tudo aquilo que possuam, a fim de que não venha a cair na miséria aquele que, por ganância, se recuse a dar pequenas oferendas… Por conseguinte, se alguém quer chegar ao seio de Abraão, não contradiga o exemplo do Patriarca, e ofereça a sua esmola, preparando-se para reinar com Cristo”.
    Esta é a primeira recomendação de dízimo feita pelos bispos, já não como pregadores ou doutores, mas como legisladores. Contudo, note-se que não impuseram sanção aos transgressores. A justificativa apresentada pelo referido Concílio de Tours em favor dos dízimos, era a necessidade de expiar os pecados da população, sobre a qual pesavam guerras e calamidades.
    Mais um passo foi dado no Concílio de Macon (Gália), em 585, quando os padres conciliares houveram por bem impor a excomunhão a quem se furtasse a pagar sua contribuição à comunidade eclesial. O dever moral torna-se também obrigação jurídica. A evolução se explica através das difíceis condições em que se achava o povo cristão (clero e fiéis) na Europa do séc. VI: as invasões bárbaras, a queda do Império Romano havia acarretado o caos e a insegurança entre as populações. Daí a necessidade de que os bispos despertassem mais vivamente os fiéis para participarem dos interesses de subsistência das suas comunidades. Em Macon, notam os historiadores que não houve apenas a recomendação de um costume antigo, mas uma autêntica inovação.
    A legislação das diversas províncias eclesiásticas nos séculos subseqüentes repetiu várias vezes a determinação do Concílio de Macon.
    O poder civil havia de apoiar cerca de dois séculos mais tarde, sob Carlos Magno, a legislação eclesiástica, confirmando-a com uma sanção civil. Com efeito, a lei capitular dita “de Heristal”, em 779, manda aos cidadãos franceses pagar o dízimo à Igreja, ficando o bispo encarregado de o administrar; os contraventores sofreriam a sanção imposta aos infratores das leis civis, ou seja, provavelmente a multa de 60 soldos. Em 780 e 801 a ordem foi reiterada.
    Nos séculso seguintes, encontram-se numerosos documentos eclesiásticos e civis das diversas regiões da Europa que visam regulamentar a praxe dos dízimos e estipulam qual deva ser:

    – a matéria sujeita a dízimos (frutos da terra, produtos de animais…);
    – quais as pessoas sujeitas a dízimos (mosteiros foram isentos);
    – quais as pessoas a quem caberia o direito de cobrar o dízimo (os párocos, os bispos…);
    – quais as aplicações do dízimos (sustento do culto, manutenção do clero ou “côngrua”, atendimento aos pobres);
    – quais os modos de perceber ou cobrar dízimos.

    1.3 – A partir da Revolução Francesa (1789).
    No século XVIII, o dízimo havia caído no franco desagrado dos fiéis cristãos. Já quase não preenchia as suas finalidades. Com efeito, destinado a atender as paróquias e ao seu clero, os dízimos, em sua maior parte, iam beneficiar o alto clero e instituições estranhas ao serviço paroquial. Os grandes arrecadadores de dízimos eram prósperos (havia bispos e prelados diversos comandatários, ou seja, leigos que traziam títulos eclesiásticos quase exclusivamente para se beneficiar dos rendimentos materiais respectivos), ao passo que vultoso número de presbíteros recebiam uma “côngrua” insuficiente. Em suma, as quantias arrecadadas não eram devidamente aplicadas aos fins estipulados pela legislação eclesiástica e civil.
    Por sua parte, os economistas do século XVIII eram hostis ao dízimo, porque não era calculado sobre a produção líquida; Adam Smith o condenou por não corresponder ao seu conceito de imposto; este deveria ser determinado e não arbitrário; a quantia a ser paga e a época do pagamento deveria ser pré-estabelecidas.
    Voltaire e os filósofos pretendiam demonstrar que o dízimo não era de direito divino. Os magistrados, o baixo clero e os agricultores eram infensos a este tipo de imposto. Em conseqüência, numerosos libelos foram enviados ao parlamento francês, pedindo ou a reforma ou a supressão dos dízimos.
    A Assembléia Constituinte de França resolveu finalmente extinguir esse uso. Na noite de 4 de agosto de 1789, os deputados do clero renunciaram aos seus privilégios e, em particular, aos dízimos. Aos 21 de setembro de 1789, o rei Luis XVI promulgou o decreto que declarava extinta a praxe dos dízimos.
    A nova legislação francesa estendeu-se às demais nações européias, de sorte que até 1848 foi abolida em todo o continente europeu, a cobrança dos dízimos; ficou apenas uma pequena porção da Itália sujeita a esse regime, até 1887.
    A moção abolidora foi, em parte, inspirada pelo espírito anticlerical, mesmo anti-eclesial, que se implantou em numerosos países nos séculos XVIII e XIX, nos setores sociais e industriais.
    Levem-se em conta, igualmente, os abusos e as distorções por que passou a prática do dízimo, tornando-a muitas vezes antipática ao povo de Deus. Por último, é de notar a contribuição que o espírito capitalista deve ter dado ao
    descrédito e ao declínio do sistema de dízimos.

    O falso ensino é que a Igreja sempre ensinou o dízimo.(mentira!)

    As primeiras congregações cristãs se formaram seguindo o padrão das sinagogas judaicas dirigidas pelos rabinos que, semelhantes a Paulo, negavam-se a receber rendimentos da pregação e do ensino da Palavra de Deus. Há muitos livros em torno da vida social dos judeus que explicam este detalhe.

    Desde a morte de Cristo até que o cristianismo chegou a ser uma religião com reconhecimento legal, 300 anos depois, a maioria dos grandes líderes da igreja se impôs votos de pobreza. Este é um fato histórico com apoio em documentos históricos! Tomaram literalmente as palavras de Jesus ao jovem rico em Lucas 18:22 “vende tudo o que tens, e dá á os pobres, e terás tesouro no céu; e vem, segue-me”. A maioria dos historiadores da igreja está de acordo que estes primeiros líderes da igreja ao menos pelos primeiros 200 anos trabalhavam em sustento próprio. Um líder cristão não podia dizer a um oficial do censo romano que seu trabalho era de tempo integral na pregação de uma religião “proibida”.

    Clemente de Roma (c95), Justino, o Mártir (c150), Irineu (c150-200) e Tertuliano (c150-200), todos se opunham ao dízimo por ser estritamente uma lei do velho testamento, sendo assim exclusivamente judaica. O Didaquê (c150-200) sancionava aos apóstolos itinerantes que ficavam mais de três dias e depois pediam dinheiro. Os viajantes que decidiam se combinar com eles viam-se obrigados de aprender um ofício. Os que ensinam o dízimo não citam as declarações destes pais da igreja que se opunham ao dízimo.

    Cipriano (200-258) fracassou quando tentou impor o dízimo em Cartago, África do norte, ao redor do 250 a.D. No entanto, quando se converteu, Cipriano entregou sua grande riqueza pessoal aos pobres e tomou um voto de pobreza. E – devemos recordar – suas idéias do dízimo não foram adotadas.

    Quando os mestres do dízimo citam a Ambrósio, Crisóstomo e Agostinho, como os assim chamados “pais da igreja”, por pura conveniência não incluem os primeiros 200 anos da história da igreja. Ainda, depois que o cristianismo foi legalizado, no século quarto, muitos dos grandes líderes espirituais tomaram votos de suma pobreza preferindo viver vida de solteiros em monastérios. Se é que vão citar a estes mestres do dízimo, então a igreja também deve observar o tipo de vida que eles viviam.

    Ainda que estejam em desacordo com seus próprios teólogos, a maioria dos historiadores da igreja escreve que o dízimo não chegou a ser uma doutrina aceita na igreja por mais de 700 anos após a cruz. De acordo com os melhores historiadores e enciclopédias, não foi senão até após 500 anos que o concílio local da igreja de Macón, na França, no ano 585, tentou, sem sucesso, impor dízimo sobre seus membros. Não foi senão a partir do ano 777 que Carlos Magno permitiu que a igreja católica romana, por aval de lei, pudesse recolher os dízimos.

    O mesmo nos informa, amigos, que esta é a história do dízimo segundo a Enciclopédia Britânica, a Enciclopédia Americana e a Enciclopédia Católica Romana para que todos a leiam. Estes fatos históricos devem servir como prova para qualquer pessoa.

    CONCLUSÃO:

    Na palavra de Deus, o “dízimo” não aparece por si sozinho. É o dízimo dos “ALIMENTOS”. O dízimo bíblico foi limitado dentro de um marco estreito pelo mesmo Deus. O verdadeiro dízimo bíblico sempre teve estas características:

    (1) Somente o que era alimento ou comida;
    (2) Somente da atividade agrícola e pecuária;
    (3) Dado somente por israelitas;
    (4) Por quem somente vivia dentro da terra santa, dentro da fronteira de Israel;
    (5) Somente de acordo com as condições do Pacto Antigo; e
    (6) O aumento somente se podia recolher daquilo que Deus tinha produzido;

    Portanto,

    (1) Objetos que não eram alimento não podiam ser dizimados;
    (2) Animais de caça silvestre e de pesca não podiam ser dizimados;
    (3) Os que não eram israelitas não podiam dizimar;
    (4) Alimento que não fosse da terra santa de Deus não podia ser dizimado;
    (5) Quando já não havia sacerdócio levítico não havia lei, em rigor, que obrigasse o dízimo; e
    (6) O dízimo não provinha do que tinha produzido a mão do homem ou capturado por suas próprias mãos na pesca ou na caçada.

    Sendo assim, esta provado que a lei do dizimo não é um mandamento para a Igreja do senhor, que os que insistem em afirmar que é, esta mentindo, ou equivocado, porem não inocente, afirmo categoricamente que os que aproveitam da ignorância dos servos do senhor, estão pecando contra cristo, ao aproveitar-se dos fiéis leigos, e que incorrerão em juízo. 2 Pd 2 v 3, e Ap 22 v 15. Deus não terá por inocente o culpado. Olhem por suas riquezas e patrimônios, eles testemuinharao contra vocês no dia do julgamento.

    • antonio carlos martins disse:

      Ora, então outro tanto deve se dizer em relação às ofertas! Estas não devem ser em dinheiro vivo também, uma vez que, já que os dízimos nada tinha a ver com moedas ali, muito menos as ofertas. Logo, suspenda-se a provisão de suprimento para as igrejas hoje, que logo ficarão sem mantimentos. Isto é, como subsistirão social e economicamente sem dinheiro??? Se não temos hoje bois,vacas,trigo etc para ofertar…hilário não? rs Eu gostaria de saber porque tanto esforço para tentar negar ou ofuscar a estabilidade doutrinária bíblica deste imposto divino?

  54. Jojo disse:

    Durante anos fui escrava moral dessas igrejas, e sempre me questionava sobre esses assuntos, e percebia que dentro dessas igrejas há muita arrogância, prepotência, autosuficiencia…”Eu dou meu dízimo, eu sou fiel, eu mesmo me salvo”
    Ficava me sentindo culpada por achar que tinha maus olhos
    Percebo enfim que essas igrejas são as verdadeira sinagogas de Satanás, onde sutilmente se nega Cristo, pois ele não é salavador suficiente, pois segundo esses pastores, se você não dá o dízimo, você é ladrão, e condenado então ao inferno e lago de fogo e enxofre.
    E quem nega Cristo é o próprio anticristo. está escrito!!

  55. DERALDO disse:

    DEL.
    Em João 10, o Senhor chama de Mercenário uns pastores, O que não entra pela porta do curral das ovelha, Que é Cristo. Que deixou estes exemplos para eles, e Eles permanecem cegos. E os cegos estão guiando outros cegos. Procura a vos do Bom Pastos, Que é Cristo.
    O Senhor disse: O ladrão vem para roubar, matar e destruir. Não é Satanás que o Senhor está falando. Ele fala de quem rouba o seu dinheiro, mata a tua alma e destrói sua família e vida. O dísmo leva há isso.

    Quem andava com a bolsa era Judas. E o Senhor disse para os Judas;

    A quem vocês querem servir? A DEUS, OU A MAMON?

  56. luiz roberto mendes da silva disse:

    Sou espirita não pagamos dízimos e portanto não temos nenhum tipo de luxo.

  57. luiz roberto mendes da silva disse:

    Alguns pastores dizem que ama a deus mas amam também a mamom…..

Serão aceitos apenas emails reais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *