Casal Gay Acusa Presidente Polônia de Homofóbico

O conservador Lech Kaczynski, do partido Direito e Justiça, venceu neste domingo o segundo turno das eleições presidenciais da Polônia com mais de 55% dos votos, segundo números oficiais após a apuração de 60% das urnas. Sua campanha espelhou seu conservadorismo, seu catolicismo tradicional, e mexeu com o nacionalismo polonês e as “iniqüidades sociais” que ainda estão aparentes no país, apesar da florescente economia desde que a Polônia ingressou na União Européia, no ano passado.

Nos últimos dias de sua campanha, Kaczynski declarou guerra aberta ao liberalismo, que lhe rendeu o apoio do partido Samoobrona, cujo líder, Andrzej Lepper, é um antiliberal radical.

Sua postura antiga fez com que por duas vezes proibisse passeatas do Orgulho Gay pelas ruas de Varsóvia, conquistando assim, o afeto dos eleitores católicos conservadores.

Recém Eleito, sua postura tem dado o que falar, a polêmica causada por face ao protesto de uma casal Gay protestando contra o uso das imagens de seu casamento num discurso homofóbico do Presidente da Polônia . O presidente em tv aberta critica a carta de direitos fundamentais proposta pela união pela união alegando que a tolerançia com a homoxexualidade ameaça a Polônia como Paíz devoto ao catolicismo.

Sua fala fora ilustrada com imagens do casamento de Brendon Fey e Thomas, no Canadá. Pra completar a polêmica, Fey e Thomas, dizem ser católicos atuantes e se conheceram numa missa. A fala do Presidente tomou tal proporção que chegou da dividir opiniões na Polônia. O casal afirma se sentirem vitimas de preconceito e confessam fazerem uma reclamação formal ao governo Polones.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *