Kit Gay do MEC, Base Evangélica Se Opõe a Decisão

O Kit Gay do MEC ainda gera polemicas. O ministro da Educação, Fernando Haddad, negou que tenha dito a parlamentares da base evangélica que o conteúdo do kit de combate à homofobia, apelidado de “kit gay”, possa ser alterado. O ministro explicou ainda que os parlamentares evangélicos poderão apresentar sugestões à comissão de publicação de materiais do MEC, mas que elas poderão ou não ser acatadas.

O kit de combate à homofobia, composto por cartazes,um livro com sugestão de atividades para o professor e três vídeos, foi elaborado por entidades de defesa dos direitos humanos e da população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais). A previsão do governo é que os kits cheguem às escolas no segundo semestre deste ano e sejam utilizados com alunos do ensino médio, acima dos 15 anos.

Porém, os parlamentares evangélicos prometem que não irão votar mais nenhuma matéria de interesse do governo, caso o kit seja distribuído. Haddad esteve na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (18), para tentar tranquilizar a base evangélica.

Até!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *