Padre Fábio de Mello no Domingão do Faustão – Análise

Tivemos, Hoje, domingo, dia 12/12, a oportunidade de vermos a Pra. Ludmila Ferber em um dueto com o padre, escritor e cantor Fábio de Melo. Achei de grande valia a participação de ambas as personalidades da musica cristã no programa do Faustão. Não pra unificação de alguma coisa que não vai acontecer. Mas pela própria disseminação de nossas musicas e paixões musicais.

No entanto sei que a desempenho dos cantores podem não ser bem vista por boa parte dos usuários que acompanham noticias cristãs pela Rede. Musicalmente, achei que a escolha não foi justa com o Padre Fábio de Mello, que até aqui, pelo menos não o acompanho muito, não havia visto uma letra desencaixar tanto com alguém que canta tão bem. Análise

Vezes e outras dos pouquíssimos minutos dados ao Dueto da canção “Os Sonhos de Deus” o padre canta oitava a baixo do tom. Como se uma melhor timbragem vocal da nota não pudesse ser imprimida pelo cantor, o que acredito não ser verdade.

Falta de habilidade vocal acredito não ser o problema. Inibição por mostrar-se lado a lado com uma cantora gospel em cadeia nacional num país com tanta intolerância religiosa, pode até ser. Mas o que acho mesmo foi que ambos não foram assim apresentados com antecedência, tanto é que a canção escolhida parecia até desconhecida para o padre Fábio de Mello em determinados momentos da musica.

Certo é que acredito que expressões assim vão abrir novas portas, novos horizontes. Agora se isso será bom ou ruim, o próprio tempo dirá. Eu sei que existe uma gama de pessoas que não toleram uma eventual mistura de evangélicos e católicos, também acho que não da certo – Mas isso não me impede de respeitá-los e amá-los. Mesmo sabendo que isso não ira acontecer, muitas vezes segmentos ligados a ambos os lados falam sobre isso como se estivesse acontecendo.

Uma coisa é avaliarmos o preconceito que exercemos. Ora, temos preconceitos com tantas “mesmices religiosas” e nos esquecemos que a cada dia estamos mais distantes da verdade. Do evangelho, do amor e do perdão. Os dias que se passam nos aproximam mais e mais com o mundo ao ponto de andarmos de mãos dadas com ele gritando bem alto: vamos para nosso destino!

Fique por dentro!

7 respostas a “Padre Fábio de Mello no Domingão do Faustão – Análise”

  1. Pra mim, o que mais me marcou neste encontro “sócio-ecumênico”, foi a fraze: Cada um segue de acordo com o seu ponto de vista! Relativisando as questões de fé e doutrina, deixando a impressão de que tudo é a mesma coisa.

    1. Não nego, as coisas não sao desse jeito não.. quem não sabe que a sua visão é a mais correta do mundo? vc é o cara.. deveriam convidar vc p nos ensinar a todos com suas inquestionaveis verdades.. né nego!!!!

  2. puro mundanismo – onde ja se viu mulher pastora – em Timóteo lemos “que a mulher permaneça em silencio nas reuniões,porque não é permitido a mulher falar e se quiserem aprender alguma coisas que perguntem a seus maridos em suas casas” – eu acho que a palavre de Deus não mudou,o mundo muda mas a palavra de Deus jamais mudará – aceite isso quem quiser porque é a doutrina de CRISTO e ponto final – porque esta escrito “ao que vencer e lavar sua vestes no sangue do cordeiro”
    “lavar as vestes no sangue do cordeiro,significa guardar os mandamentos”
    geração adultera e perversa pensam que escaparão da ira futura se convertam…

    1. Ridículo! Esse seu discurso não tem nada de evangelização, é apenas preconceito e machismo disfarçado. Os dons de Deus são concedidos a pessoas e não ao sexo. Acorda meu caro, e vigie, pois esse seu extremismo impede de ver e presenciar o verdadeiro amor de Deus!

  3. Achei belíssima a iniciativa. Aliás, já tive a oportunidade de exteriorizar minha opinião em episódio semelhante, ocorrido entre a Banda Rosa de Saron e o Pr. André Valadão há algum tempo atrás.Que ninguém se engane. Católicos sempre serão católicos e evangélicos sempre serão evangélicos. Há certas diferenças que são irreconciliáveis e que sempre impedirão a plena comunhão entre as duas religiões. Entretanto, isso não nos impede de realizar juntos certas atividades naquilo em que somos semelhantes, situações que, por sinal, são bastante comuns,já que ambas as religiões vêm da mesma raiz, que é Cristo.O ecumenismo é um assunto polêmico, e não estou aqui para tentar convencer ninguém a aceitá-lo.Cada um tem a sua opinião a respeito e Deus obviamente tem a d’ELE, a qual conheceremos no momento oportuno. Contudo,é preciso esclarecer que o ecumenismo não prega que as pessoas passem a praticar ou incorporem à sua fé doutrinas estranhas àquelas em que acreditam. O que ele prega é a comunhão naquilo que há de comum.Quem assistiu ao programa certamente percebeu que nem a pastora, nem o padre realizaram qualquer ato ou proferiram qualquer declaração que ofendesse a fé que professam. Apenas cantaram juntos algumas canções que exaltam a CRISTO, senhor das duas igrejas,e responderam a algumas perguntas formuladas pela platéia.Em minha opinião, excelente exemplo de amor ao próximo, que deveria ser seguido. Há irmãos que insistem em se opor a iniciativas como essa, tendo por base o texto de Paulo em 2 Coríntios, que menciona não haver comunhão entre as trevas e a luz.Respeito quem assim pensa, mas entendo ser perigosa a interpretação de que essas “trevas” sejam religiões ou as pessoas pertencentes a determinadas denominações religiosas. Entendo que o apóstolo se referia ao demônio e às suas obras, bem como àqueles que, INDEPENDENTEMENTE DE RELIGIÃO, praticam essas obras do maligno. Até porque, em Efésios, lemos que nossa luta é contra potestades e principados, e não contra o sangue e a carne. O inimigo, meus amados, não é o irmão que está ao lado e assim pensando, apenas estaremos incitando mais e mais ódio entre as pessoas e fazendo exatamente o contrário do que Jesus nos ensinou. Por outro lado, o diabo, verdadeiro e único mal a ser combatido, sairá fortalecido, por ver cristãos desunidos e brigando entre si.Parabéns Pe. Fábio e Pra.Ludmilla. Que Deus Abençoe a vocês sempre mais e mais!!! Paz e bem.

    1. Sábias palavras Ana. Infelizmente nós temos a inclinação de sermos frios em nossas análises (quando diz respeito ao outro) e cruéis em nossas críticas. Entendo que o objetivo foi nobre e se ao final não agradou a todos, está perfeitamente normal. É assim mesmo que as coisas se procedem. Quando olhamos de fora, tudo é muito simples, mas na posição em que eles se encontraram, naquele momento, só nos colocando no lugar deles para tentarmos imaginar como se sentiram,diante das perguntas e de todas as circunstâncias que envoloveram o momento, pois apesar de serem pessoas públicas, de certa forma protagonizaram uma iniciativa, até certo ponto, inédita por parte da emissora. Além do mais, não temos o direito de julgar. Quem somos nós??? Se existe algum débito por parte de alguém, isso é entre cada um e Deus. O juizo é individual.Também parabenizo a ambos pela participação e peço que o Senhor continue dirigindo-lhes os passos para que possam continuar sua caminhada a serviço D’Ele, no alcance a tantos corações desalentados. Que a Paz esteja com todos!

  4. Belissima apresentação, muito embora fique evidente a presença do padre Fabio de Mello. A pastora Ludmila é muito boa mas, ficou ofuscada pela forte presença exercida pelo padre frente aos fieis. Seguro, não só na musica, como também nas palavras sempre muito bem pronunciadas e dissertadas sobre o assunto.
    Dá gosto assisti-lo, sem desmerecer a pastora Ludmila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *